Mais África

Não deixa de ser arrepiante o que se vai lendo sobre o continente, desde a imprensa a publicações especializadas, confirmando o que é a nossa percepção das diferentes realidades no terreno. No The Sunday Independent deste fim-de-semana, uma notícia chocante na página 2: “Esperança de vida na África do Sul caiu para os 50 anos”. E avança que a sida é responsável pela redução em 13 anos, apesar dos retrovirais os quais chegam apenas a uma pequena parte da população (lia há dias que cerca de 85% dos infectados não tomam ARV) e da distribuição de preservativos sem que tenha havido a esperada redução de sexo desprotegido, sobretudo entre os adolescentes. Na África do Sul, a esperança média de vida não é homogénea existindo diferenças abismais em função das diversas províncias. O estudo da Actuarial Society concluiu que a esperança média de vida nas províncias sul-africanas é a seguinte: Cabo Oriental 49, Free State 47, Gauteng 52, KwaZulu-Natal 43, Limpopo 56, Mpumalanga 47, Cabo Norte 58, Noroeste 50 e Cabo Ocidental 62. As mortes devido à Sida na África do Sul sofreram variações brutais nos últimos 10 anos. Estima-se que as mortes provocadas pela Sida em 1995 tenham sido de 14.000, subindo para 130.000 em 2000 e 330.000 em 2005.

No continente, alguns dados igualmente esclarecedores. O Zimbabwe, de Robert Mugabe, tem a mais baixa esperança média de vida do continente africano com as mulheres a atingirem os 34 anos e os homens os 38 anos. A média no Botswana é de 38, Malawi 38 e Zâmbia 39.

Quanto ao Zimbabwe, a única coisa que ainda resta devem ser as Victoria Falls…

5 Respostas to “Mais África”

  1. Emiéle Says:

    Li «no comments» antes de abrir esta caixa, e a verdade é que também é só o que me apetece escrever aqui – no comments!
    É terrível, Miguel.
    Amanhã vou falar nisto no Pópulo e deixar um link para estes teus dados.
    (ainda estou meio zonza, porque não pensei que fosse tanto!!!)

  2. miguel Says:

    É mesmo terrível. E sabes o que é ainda mais terrível? É teres toda uma população completamente desorientada devido às indicações e pronunciamentos públicos inacreditáveis de responsáveis políticos deste país. Merecerá igualmente um post separado. Só para te dar uma ideia, o vice-presidente Jacob Zuma, afastado por Mbeki devido a sucessivos escândalos, esteve envolvido numa acção judicial por abuso sexual (se a memória não me falha) de uma mulher muito mais jovem do que ele e que, por acaso, é seropositiva. Claro que ele não usou preservativo. Em declarações públicas à comunicação social ele disse que logo a seguir tomou banho de modo a reduzir significativamente as probabilidades de contrair o HIV. É preciso dizer mais alguma coisa?

  3. Emiéle Says:

    Tomou banho?!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Que bom para a sua higiene pessoal. Ficou limpinho e a cheirar bem (consoante o sabonete).

    Continuo de boca aberta.
    Mas lembras-te de uma história mais ou menos escandalosa, de uma prostituta que morreu, cá no norte interior, e era muito procurada e ganhava muito dinheiro porque aceitava não usar preservativo, e os clientes todos contentes!!! Soube-se depois que era seropositiva, e a sua atitude era uma espécie de vingança contra os homens, porque alguém a tinha infectado. E os idiotas, todos felizes porque tiham encontrado alguém que fazia sexo desprotegido…
    E isto na Europa!

  4. miguel Says:

    Não soube dessa história Emiéle. Quanto ao homem de cá, o último livro de cartoons do Zapiro tem o sugestivo título de “Da Zuma Code” em alusão ao “Código de Da Vinci” LOLLLLLLLLLLLL Epa, é de uma pessoa se atirar para o chão a rir com tanta imbecilidade. O tipo até fez um cartoon com as aplicações possíveis para um preservativo (para guardar o sabonete no duche, para guardar a escova de dentes e a pasta, etc).

    E quem é este Jacob Zuma? Nada mais nada menos do que o homem forte de etnia Zulu do ANC. Uma espécie de contrapeso ao ascendente do Inkhata de Butelezi. Os zulus representam actualmente na África do Sul cerca de 24% da população total com os Xhosas (Mandela e Mbeki) a representarem 18%. Era, da etnia zulu, o mais alto funcionário público no actual contexto governativo do país. Por tudo isto, ainda é mais grave tudo o que aconteceu. Este “senhor” está envolvido em processos judiciais contra ele de uma grande gravidade, devendo ser julgado nos próximos tempos por corrupção num meganegócio de armamento com a EADS. Espantoso não é?

  5. DSFFFFFFFFFFFF Says:

    TO NEM AEEEEEEEEEEEE PA ELES

Os comentários estão fechados.