Alambamento

Confessou-me o C. que o encostaram à parede, não tendo mais espaço de manobra para fugir à obrigação. A actual namorada, de 23 anos e companheira há quatro, começou a pressioná-lo, juntamente com a família, para que “legitime” a relação. Está já marcado para Agosto. Até lá, terá que construir casa tendo já encontrado um terreno para os lados da Estalagem, com 150m2. De igual modo, para além desse esforço financeiro, terá que dar 8 grades de cerveja, 8 grades de gasosa e $300,00, juntamente com a carta. E, diz ele, teve sorte por que já é gente que veio para Luanda, do Uíge, há algum tempo pelo que não são tão rigorosos, senão seria forçado a dar grades de cerveja as quais deveriam, uma vez sobrepostas, atingir a sua altura…

12 Respostas to “Alambamento”

  1. Jo Ann v. Says:

    Aywé, curto bwé a minha banda, sinceramente! :P
    Se eu levar Francês pra casa, o rapaz vai pôr-se a milhas… Minha família é moderna, mas é capaz de virar gentia para a ocasião…

  2. miguel Says:

    Quantas grades?! LOLLLLLLLLLLL!

  3. Emiéle Says:

    Eu liguei mentalmente este post do alambamento com o que escrevi sobre a virgindade. É claro que quando escrevi lá que preferia o «alambamento» ao «dote» porque neste caso se estava a dar valor à mulher, estava a brincar. Tenho a noção que o que está na raiz destes usos (quer aqui quer em Moçambique, quer possivelmente no resto de África) tem a ver com outros rituais que não passam nada pelo valor que se pode dar a uma mulher… E, seja como for, para quem quer pensar em termos de igualdade o certo é que quer no caso do dote quer no alambamento a mulher que entra numa família por casamento é ainda qualquer coisa que se “paga”. Boooommm…
    Os jogadores de futebol também se compram, não é? É tudo uma questão de perspectiva.

  4. miguel Says:

    Esse teu “Boooommm…”, diz tudo. Estas “coisas” causam-me alguma impressão porque jamais se poderá atribuir qualquer tipo de valor material a pessoas, sejam elas homens ou mulheres. Até porque, e agora numa perspectiva de mercado lol, como é que é feita a avaliação do activo? Por aquilo que os pais investiram nele (activo) desde a concepção até sair de casa ou pelo tipo de rendimento que poderá ainda proporcionar? No fundo, no fundo, é de festa que se trata e o alambamento nada mais é do que uma razão para que tal aconteça, a festa. Este tipo de situações vão acabando, tal como o dote acabou. É uma questão de tempo. E desenvolvimento da sociedade. Daria pano para mangas. Isto não tem nada a ver com o facto de eu ainda ter que trabalhar mais uns anitos para comprar a mulher dos meus sonhos…

  5. miguel Says:

    Em Setembro, por motivos profissionais, estive em Luanda e, tal como o Miguel dizia há uns meses atrás, estive num alambamento pouco tradiciona, mas ao meso tempo conservando o “naif”. Unico eurpeu entre + de 100 Africanos (embora uns 30% residindo em Portugal) gostei muito. Fui tratado com um 2º rei na festa e achei em dos ultimos costumes puros (não é = a perfeito). Espero que continue, pois vale pela festa, pois claro.

  6. miguel Says:

    Essa deve ter sido uma experiência interessante miguel. Vale sempre a pena ver coisas novas e diferentes.

  7. Gil Says:

    È bué fixe estar nos alambamento melhor ainda se for de regiões diferentes para que nela possamos tirar varias experiências assim que nós fazer-mos a personagem de tio já sabes como é e quais são os truques.

  8. zenyp Says:

    É bwé bala alambar uma baby virgem!
    Não achammm?

  9. jilio Says:

    sobre almbamentos falem mais

  10. fillipe-staff Says:

    este gajo teve sorte se a dama fosse do Úige ficaria maluco com tanta coisa que o pediriam!!! ex: 20 grades de gasosas e de cervejas fatos calçados cigarros,etc, já para não falar dos 300 usd na carta!

  11. miguel Says:

    A dama era do Uíge! A sorte dele é que “emigraram” para Luanda há bué!

  12. JOSE VILA Says:

    POR FAVOR,O ALAMBAMENTO É NOSSO RITUAL E QUERENDO OU NAO TEMOS QUE CUMPRI-LA EM POUCAS PALAVRAS É HONRAR A NOSSA FUTURA ESPOSA ETC…

Os comentários estão fechados.