Lei do talião

Gostaríamos, nós os portugueses que residem actualmente em Angola, de agradecer profundamente ao agente que teve a feliz ideia de deter Pedro Mantorras. E, estou certo que conseguiremos, estamos a envidar todos os esforços para juntar dinheiro que nos permita pagar-lhe uma viagem a estas paragens para, em grupo, lhe mostrarmos o miradouro da Lua. O único senão é que terá que caminhar de olhos vendados e apenas poderá parar quando lhe dissermos para o fazer…

17 Respostas to “Lei do talião”

  1. re21 Says:

    Já tinha lido, quer dizer então que ontem foi dia de “caça” ao português que conduzia,foi tudo multado?.O Mantorras é o maior.

  2. miguel Says:

    Multado? Estavam a dizer-nos hoje que foram detidos 22. Se é verdade ou não, não sei. O que sei é que aprovaram isto na 6ª feira passada ao que parece. E não é o Mantorras que é o maior. É uma cambada de imbecis que não vê as coisas de forma bilateral. O polícia limitou-se a aplicar a lei. No que se refere à aproximação e bom relacionamento entre dois povos “irmãos” tem muito que se lhe diga. Estrategicamente, ambos os governos, com particular destaque para Portugal, deverão decidir de uma vez por todas se interessa manter um bom relacionamento ou mais estreito devido a razões históricas e estratégicas ou não.

    Situações como a do Mantorras, odiosamente exploradas até ao tutano pela comunicação social portuguesa que tem um forte impacto em Angola, são vergonhosas. Abomino a comunicação social, melhor, muita da comunicação social portuguesa porque, na realidade, tem muito que se lhe diga quanto a qualidade. O sensacionalismo e o efeito bombástico é extremamente importante. Alguém passou nos telejornais depois que o Mantorras está na boa?! E quem se importa com os 50.000 portugueses que aqui vivem?! (sei lá eu se são 50.000…) Alguém tem ideia das repercussões dessa situação na nossa vida cá, no nosso quotidiano? Ou acham que isto aqui é só amor e paixão?! O gajo que está na rua e ao sol, que vive mal, ganha uma miséria e foi endoutrinado de determinada maneira, como é que reage quando lhe dizem que as cartas de condução portuguesas não são válidas em território angolano, sobretudo depois de ter sido tão publicitada a detenção do Mantorras?!

    Poupem-nos pá!

  3. B Says:

    Tinhas que colocar este tema no blog. Vou ser sincera, vim cuscar de propósito só para ver o que tinhas escrito.

    Anormais do caraças, só nos lixam a vida…….

  4. Miguel A Says:

    Ontem foi todo o dia a levar na empresa com esta história. Até na rua fui abordado por locais que conheço de vista a perguntarem o mesmo. Explicar que existem leis para cumprir, é mentira, logo andei todo o santo dia a dizer deverá ter sido um mal entendido, etc, etc. O k sei é que como estou à espera da carta local, conduzir a partir de ontem, nicles… Mas será que não existem gajos no Benfica para tratar desta papelada aos jogadores estrangeiros? Ele é passaporte caducado, carta com problemas… Mas alguém imagina isto no FCP? e eu até sou lampião, mas porra…

  5. Emi鬥 Says:

    Também cá vim espreitar o que dizias sobre o caso, tão evidente é. Pensei tal e qual o que diz o Miguel A. Bolas, jogadores tão caros e tão promovidos que têm agentes de isto e daquilo, nãotêm quem lhes dê uma vista de olhos pelos papeis a ver se há qualquer coisinha a necessitar de ajuste…?
    De resto a dita pena de Talião estava mesmo a ver-se. Assim que o incidente foi contado com o empolamento que foi, previ logo isto!

  6. pp Says:

    detidos 10 ontem a noite na Ilha… como pareco mulata como disse o Sr. do BI, nao me mandaram parar :)

    Oferecemos um carro ao agente para viajar pela cidade… sozinho!!!

    [de prata:)]

  7. Miguel A Says:

    Este castigo advogado pela PP tá giro. Mas por outro lado, pq é que nós estamos contra o agente q mandou parar o Mantorras? não cumpriu o que lhe é exigido? andamos sempre a lafar num país de brandos costumes e qdo se cumpre as regras, é no que dá.

  8. miguel Says:

    Ora bem, é evidente que as duas vezes que me mandaram encostar hoje nada tem a ver com o facto de poder ser português e poder estar a conduzir com carta portuguesa. Nada disso. Era bom era dizer-se aos polícias de trânsito que nem todos os brancos são portugueses e vice-versa. Senão podemos entrar por vias extremamente complexas e com um desfecho claramente desfavorável para ambas as partes… Por outro lado, jamais esquecerei o desalento do polícia quando viu que a minha carta era… angolana. Ainda veio o superior confirmar e soltou um “deixa-o lá seguir” para o seu subordinado sem sequer dizer um bom dia, fazer continência, o que quer que seja.

    Da parte da tarde, mais uma cena. Nem um bom tarde nem o que quer que seja. Apenas pedem a carta de condução, já nem é importante verificar os documentos do veículo nem nada. A carta! As cartas! Isso sim. Até porque hoje foi mesmo oficial, saiu na última página do jornal.

    Acredito que para alguns seja frustrante um gajo estar 100% legal. E de como as coisas mudam. Até há muito pouco tempo, os polícias de trânsito quando mandavam parar, faziam continência, cumprimentavam o condutor e pediam TODOS os documentos da viatura. Faziam as suas recomendações se havia algo que não estava a 100% e desejavam uma boa viagem. Agora?

    Muitos são já os que não conduzem, tal como afirmou o Miguel A. Mas para além disso tudo, acredito que a presente situação que ultrapassa, na minha perspectiva, a questão das cartas de condução – as tais coisas que nunca se resolveram e estão ainda bem imbuídas no espírito de muitos, mesmo nos que nunca souberam o que era ser colonizado – poderá dar azo a questões mais profundas. Mas é tudo uma questão para se esperar para ver no que tudo isto irá dar. Que o desconforto reinante é extremo, é uma realidade.

  9. miguel Says:

    pp,

    Isso fiz eu uma vez a um polícia de trânsito. Disse-me que o carro estava apreendido ao que lhe respondi que por mim tudo bem. Comecei a arrumar as minhas coisas todas e esvaziei o carro. Peguei na minha pasta, saí do carro e tranquei-o todo perante a perplexidade do polícia que me perguntava o que eu estava a fazer. Apenas lhe disse que se o carro estava apreendido que podia ficar com ele que nós depois o recolheríamos onde quer que fosse. Começou a dizer-me que eu é que tinha que levar o carro ao que lhe respondi que não levava nada. Começou a dizer que lhe estava a faltar ao respeito ao que lhe disse para resolver a situação como entendesse já que tinha ficado com a minha carta e documentos do carro. Enfim… Sem mais comentários.

  10. ac Says:

    estava eu aqui caladinha a ler a tua revolta (cheia de razão diga-se) mas com uma vontade de rir a pensar na cara do 1º policia que te fizesse parar para ver a carta!
    Isto está tudo de pernas para o ar e com apitos dourados ou pretos o futebol continua a governar as nações. Tenho a certeza que não será o primeiro angolano a suceder isto, mas o problema é que foi o coitado do Mantorras (eu até gosto do rapaz) e por isso este Carnaval de parte a parte que se torna caricato para quem vê os dois países em pé de vento por … isto!

  11. Manel Says:

    O que eu acho (já não vinha cá há uma data de tempo e não sabia nada do Mantorras):

    Acho que o povo Angolano, ou melhor os seus dirigentes são “algo” complexados … A lei da retaliação nunca resolveu nada e é estúpida.
    Se a carta Portuguesa não é válida em Angola, deviam ter visto isso após 11/11/1975 e não 31 anos depois.
    Merda que até já chateia, se são assim tão bons porque não fecham as fronteiras e não deixam, nem entrar os técnicos estrangeiros, nem o investimento estrangeiro.

    As cartas chinesas, serão válidas?

    Porque não fazem essas coisas com um Britânico, ou com um Americano?

    Estranho, não? É sempre para o mesmo lado.

    Passaram-se 31 anos senhores e a economia de mercado tem que funcionar sob pena do País nunca mais sair de onde está.

    Invistam muito, mas também na formação dos vossos quadros, das vossas crianças, dos vossos jovens.

    Obrigado,

  12. Cláudio Says:

    Por favor! Portugal limitou-se a fazer a cumprir a lei, situação que estava prevista desde 2000. Portugal, como sempre, mostrou-se complexado em relação a um governo angolano, que nunca se norteou pela Lei ou Justiça.

    Perante essa retaliação, Portugal deveria ter tomado medidas de idêntica medida, e não soçobrar.

    Angola é uma ditadura repressiva, dominado por uma elite corrupta que se considera dona do país.

  13. Miguel A Says:

    Cláudio, a unica diferença é que aqui o PR diz em discurso oficial que os Funcionários publicos não irão ser aumentados porque têm outras fontes de rendimento, logo, governem-se. O que Miguel diz e com razão é que isto lixa a vida a 50.000 tipos que aqui andam a lutar pela vida. Porque se fosse para estar de férias, se calhar muitos de nós iamos para outras paragens, né?

  14. Cláudio Says:

    Miguel A, em Angola, esperava o quê? Uma país racista e profundamente complexado…

  15. pp Says:

    hummmm… o Claudio nao vive ca pela certa.
    [de prata mesmo:)]

  16. poijbvgv Says:

    nao, eu nao sou motoboy

  17. pp Says:

    motogirl?

Os comentários estão fechados.