Archive for Abril, 2007

Exigências

30 Abril 2007

Apesar do Governo ter aprovado um aumento de 12% do salário mínimo nacional, os sindicatos entendem que tal é manifestamente insuficiente para fazer face ao custo de vida (e depois utilizam argumentos como o cabaz familiar que apenas dá para uma família com seis filhos, etc e tal) e por isso exigem um salário mínimo nacional de 350 USD. Confesso que fico pasmado com este tipo de notícias: 1º sendo a moeda nacional o kwanza e após uma mega-campanha a favor do kwanza em detrimento do dólar, como é possível os sindicatos falarem ainda de um salário mínimo em dólares? 2º o que é que o Governo (e demais entidades públicas ou privadas) têm a ver com o facto de alguns entenderem ter mais filhos do que aqueles que podem sustentar? 3º porque é que em vez de reclamarem o impossível, não defendem antes o estímulo à produção nacional criadora de postos de trabalho e, consequentemente, deflatora dos preços de tantos produtos básicos ainda importados devido à auto-insuficiência nacional?

[foto] Por cima da Sonils

29 Abril 2007

f013-16032007l.png

Esta é mais uma das imagens espectaculares que as aproximações a Luanda em altitude proporcionam. Destacando-se claramente da linha de costa original, está uma enorme área a vermelho que é a base da Sonils (apoio à indústria petrolífera) tendo esta área sido totalmente conquistada ao mar. É igualmente possível ver, na imagem, o equipamento que esteve durante alguns dias a trabalhar junto ao Porto de Luanda para criar a ilha que agora lá está no âmbito do mega-projecto de requalificação da baía de Luanda.

Goloooooooooooooooooooooo!!!

29 Abril 2007

sporting.png

A vitória é nossa! Alguém duvida?!

Air26

29 Abril 2007

f014-16032007l.png

É a mais nova e a que tem revelado uma enorme pujança. Iniciou as operações de vôo com apenas dois Embraer 120 e já vai em quatro o que é excelente, para uma empresa que começou há 6 meses. Bom, para além do serviço interessante ainda em fase de afinações aqui e acolá por parte das hospedeiras, muitas ainda completamente estreantes mas esforçadas, foi, até agora, a única companhia aérea nacional em que, durante o vôo, o comandante se dirigiu aos passageiros para informar a altitude (4800 metros), a velocidade (500 km/h) e a temperatura no destino. Excelente. Isso e, após o touch down, o piloto esticar o braço para o lado e levantar o polegar da mão direita para cima em sinal de apreço pelos aplausos dos passageiros por mais uma aterragem bem sucedida.

O estrangeiro

29 Abril 2007

Já esquecido, ou nem por isso, tão contente que estava no seu regresso, fez questão de agradecer publicamente a todos os que o apoiaram, citando-os um a um. Não contive uma sonora gargalhada à medida que me iam contando o episódio. Pim, pam… pum!

Os guardiões do kemalismo

29 Abril 2007

Como não poderia deixar de ser, os militares vieram a terreiro afirmar alto e bom som o seu profundo desagrado pelo rumo que o país está a tomar, aumentando substancialmente a crise institucional por que passa a Turquia actualmente.

akp.png

Depois de ter ganho as eleições de 2002, com apenas 34,28% dos votos garantindo 363 dos 550 assentos parlamentares, ie, 2/3 do parlamento (!)(só os partidos com mais de 10% dos votos têm representação parlamentar), o AKP (Partido da Justiça e Desenvolvimento) de Erdoğan não só governa e tem a presidência da assembleia da república como pretende agora eleger um destacado dirigente do partido para a presidência da república. A [quase] total concentração de poderes neste partido tem estado na origem das fortes reacções que, provenientes de diversos sectores, se têm feito sentir nos últimos dias. É interessante enquadrar esta luta pelo poder desencadeada pelo AKP, partido conservador de direita e islâmico moderado, na Turquia secularista de Kemal Atatürk.

O legado de Kemal Atatürk, pai da Turquia moderna, não deixa de ser extraordinário pela audácia com que implementou reformas de fundo que perduram até hoje. Algumas das que implementou nos anos 20 e 30 do século passado:

1. Abolição do Califado em Março de1924;
2. Encerramento das escolas teológicas;
3. Substituição da Charia por legislação baseada no sistema legal suiço e adopção dos códigos penal italiano e comercial alemão;
4. Interdição do uso do véu pelas mulheres e incentivo à sua participação no mercado de trabalho;
5 . Substituição, em 1928, do alfabeto árabe por um latino modificado, aproveitando para eliminar vocábulos árabes e persas da língua substituindo-os por novas palavras turcas;
6. Abertura de escolas de belas artes, repondo a liberdade artística a turcos e turcas incluindo a representação visual de formas humanas, banido pelo Império Otomano;
7. Fim da proibição islâmica do consumo de álcool;

Por tudo isto, e face ao que tem vindo a acontecer na Turquia com algumas tentativas de islamização da sociedade, as forças armadas turcas alertaram, em comunicado, que “qualquer tentativa de pôr em causa o secularismo da Turquia fará com que as Forças Armadas respondam abertamente afirmando o seu posicionamento quando necessário. Que ninguém tenha dúvidas sobre isto”. Mais claro é impossível…

Enquanto europeu, não deixo de interrogar-me se devemos temer este tipo de evolução tendo em consideração que, também na Europa, existem (ou existiram) partidos cristãos no poder. Por outro lado, algo que me provoca alguma reflexão prende-se com a seguinte questão: estará a Europa a expandir-se para oriente ou o contrário?

todosjuntospelaturquia.png

Todos pela Turquia! (sem dúvida…)

[foto] Fortaleza

29 Abril 2007

f030-11032007l.png

Embora algo repetitiva, é daquelas imagens de Luanda que nunca me cansa. O enquadramento paisagístico é deslumbrante, com particular destaque para o fim do dia e noite…

[foto] Boavista-sur-mer

29 Abril 2007

f001-28042007l.png

Tem sido algo frequente, na aproximação a Luanda, voarmos a grande altitude devido ao intenso tráfego aéreo que se regista na capital, proporcionando imagens magníficas da cidade à medida que vamos perdendo altitude, voando em círculos, até aterrarmos no aeroporto 4 de Fevereiro.

[foto] A nova, velha cidade

29 Abril 2007

f001-18042007l.png

Sinais dos tempos espelhados em todo o tipo de construções que ocorrem, um pouco por toda a parte, na cidade de Luanda. Em primeiro plano a nova sede da Sonangol com o que parece ser um heliporto no topo e, mais ao longe, um novo edifício em frente ao Jornal de Angola e da representação da União Europeia, privado, destinado a comércio, escritórios e habitação (de luxo, mercado em forte expansão). É interessante este fenómeno de novas construções, recuperação de edifícios antigos e modificações nalguns já existentes evidenciando a pujança económica que se vive no país. Por colocar aqui, alguns edifícios que fazem parte desta nova Luanda.

[foto] Miradouro da Lua

28 Abril 2007

f001-04042007b.png

Algo de único – ainda tenho que ir à Fenda da Tundavala – o Miradouro da Lua é de uma beleza extraordinária. Levei lá o M., algo queixoso de se encontrar há já alguns anos em Angola e nunca ter saído do bairro de cimento. Ficou deslumbrado. Penso que já se encontra na Província do Bengo, a sul de Luanda, na estrada da barra do Kwanza e Cabo Ledo. A Província do Bengo que tem, por tudo o que já vi, um potencial turístico elevadíssimo.

[foto] Offshore a caminho de Luanda

28 Abril 2007

f017-28032007z.png

[foto] Queimadas

28 Abril 2007

f001cab-22042007.png

Liberdade

25 Abril 2007

Foi há 33 anos.

A melhor referência sobre a revolução no Pópulo, da Emiéle. Muito haveria a dizer sobre este assunto e a tomada de assalto, em diversos domínios, do que se convencionou designar por “as conquistas de Abril”. É assim esta, a nossa, “liberdade”. Ao ver o noticiário desta tarde, enquanto discursava o deputado do Partido Comunista, ao invocar como era nos tempos já idos, dei comigo a pensar quanto do que disse subsistirá ainda no seio da nossa sociedade. Afinal de contas, liberdade é o quê, concretamente?

Do svidania

24 Abril 2007

Boris, filho de Nikolai.

Graças a ele uma das piores noites de que tenho memória, cheia de pesadelos made in Praça Vermelha, depois de algumas horas de acompanhamento, em directo pela Sky News, da evolução da crise. Chacota à parte por ter protagonizado das cenas mais hilariantes alguma vez vistas num chefe de Estado, fortes reservas pela forma como precipitou a implosão da URSS e tudo o que se lhe seguiu, estando ainda longe de ter terminado, incluindo, sobretudo, o ter entregue de mão beijada o mundo aos norte-americanos.

A imbecilidade…

24 Abril 2007

… será algo de inato ou que se vai laboriosamente aprimorando ao longo da vida?!

[foto] Trançar

24 Abril 2007

f001cab-21042007.png

[foto] A base do Kwanda

23 Abril 2007

Situada junto à foz do rio Zaire e na ponta oeste do Soyo, a Base do Kwanda albergará um dos maiores projectos do sector dos hidrocarbonetos do país. Está já em andamento o que é já conhecido por Angola LNG. Pelo que se pode ver na fotografia a área é, em si, extremamente inóspita devido ao clima tropical intenso que ali existe. Não é assim difícil perceber a razão pela qual o regime de trabalho é de 28/28…

f002cab-21042007.png

[foto] Mazelas da chuva

23 Abril 2007

Este ano, a época das chuvas está a ser mais normal do que tem sido a regra dos últimos anos. Mais água e todo o tipo de mazelas a vir ao de cima, sobretudo as intervenções que nunca foram realizadas em tempo útil, associadas à construção desenfreada e [algo] anárquica que se expandiu na cidade e em toda a periferia da capital. Uma das consequências do que, de forma sucinta, acabei de descrever está bem espelhada na fotografia que aqui deixo. Em determinadas zonas da capital (a da foto será provavelmente o Sambizanga), a acumulação de água é de tal forma permanente que não só torna “inacessíveis” as habitações como permite o florescimento de forma pujante da flora que se pode ver, a verde, à superfície da água, no meio das casas.

f001lad-28032007.png

Atrasos

23 Abril 2007

À saída de Luanda, pela Air26. Já com os pasageiros a apanhar uma valente seca dentro do autocarro sem ar condicionado, uma das funcionárias da companhia foi ao autocarro inventar para entreter os passageiros. A determinada altura do discurso, teve a funcionária a infeliz ideia de, depois de perguntar aos passageiros se iam para Cabinda, dizer que o vôo era rápido e que dali a pouco tempo todos estaríamos no destino. Infeliz ideia porque assim que acabou de falar ouviu-se alguém, no meio dos passageiros, dizer numa voz muito feminina “pouco para si, para mim é muito porque estou com muita fome”! Foi a custo que consegui conter umas gargalhadas enormes pela sinceridade da reacção que desarma qualquer um.

Regressos

23 Abril 2007

Começou logo na sala de embarque. Um grande abraço, daqueles de cá e muito à africano, à esquerda seguido da direita e umas palmadas nas costas. É giro revermos pessoas. O mesmo já chegado à cidade. Muitos acenos acompanhados de sorrisos, muitos apertos de mãos e beijinhos. É giro, mesmo giro. De resto, algumas novidades. Aquele que será brevemente, do que já conheço do país, o melhor aeroporto com claros rasgos de modernidade, um prédio todo vanguardista de um dos maiores empresários da terra e a pizzaria. Tudo o resto está em fase de implementação ou execução. Boa, mas mesmo boa, é a estrada do Massabi e que já me permitiu, pela primeira vez, chegar perto do território  do Congo Brazaville por via terrestre.

[foto] A melhor que tirei do Soyo

18 Abril 2007

soyo1.png

IKEA

15 Abril 2007

Detesto o Ikea e quem disser o contrário não é uma pessoa normal!

(tenho as mãos inchadas, as costas lixadas e as peças não encaixavam todas… aaaaaaaaaaarggggggghhhhhhhh)

Graças à EDEL

15 Abril 2007

Não posso corrigir a foto de baixo ou, muito menos, deixar outras. Fica para quando houver energia. O fim-de-semana inteiro sem energia?! Inacreditável!

[foto] 5 Anos de paz na Baía da Luanda

15 Abril 2007

f001-04042007l.png

A foto tem o lapso da data. É mesmo de 4 de Abril e não de Fevereiro…

1500 dias

14 Abril 2007

De Angola. Virgem Maria (vale o que vale, vindo de um ateu…)!

Polémicas

11 Abril 2007

Chegado hoje a Luanda para uma curta visita profissional, levei o meu pai a jantar fora, como é da praxe. Se a montanha não vai a Maomé, Maomé vai à montanha ;) Após o jantar, e já em amena cavaqueira com os Mon Chéri por perto e os matutinos daí em cima da mesa, a polémica actual acabou por ser referida. Não que tenhamos tecido considerações de fundo sobre o assunto na berra mas porque, o facto de ter sido despoletado, deixou o meu pai extremamente preocupado. E se de repente lhe pedirem o diploma de nadador-salvador do Instituto de Socorros a Náufragos de Leixões?!

Ainda não o ouvimos mas…

10 Abril 2007

… já agora, para que possamos todos estar devidamente informados, não seria possível o Público (ou qualquer outro órgão de comunicação social, para o efeito) publicar também em formato digital o certificado de habilitações da 4ª classe de Sócrates e, já agora, se não for pedir muito, um que tenha a fotografia dele quando era puto? Muito obrigado…

A rebentar pelas costuras

10 Abril 2007

A qualidade de vida na cidade capital atingiu o seu nível mais baixo de há muitos anos. Actualmente, viver em Luanda, é um verdadeiro suplício tal não são as dificuldades com que todos nos deparamos no dia-a-dia. A título de exemplo, eu, mesmo vivendo numa zona “nobre” da cidade, fiquei quase dois meses sem água, estou há quase dois dias sem energia, o trânsito caótico, com a criminalidade a tentar ser controlada e sem lugares para estacionar em parte alguma, a polícia de trânsito insiste em multar mesmo parando por instantes para que alguém possa sair do carro, sair para almoçar é um verdadeiro exercício de paciência, as crateras e água acumulada nas ruas são incontáveis, o lixo que a qualquer hora do dia se vê um pouco por toda a parte na cidade, persiste, a água de esgotos e fossas vai-se acumulando e correndo à vontade pelas ruas fora. E nos bairros?! Nem quero imaginar…

Este fim-de-semana, saíram vários artigos na imprensa nacional sobre a situação actual. Destacarei, em post, o melhor artigo ou um dos melhores artigos que alguma vez li sobre o assunto e que atesta bem o saltar da tampa de alguém que, também ele, já não aguenta mais. Por quanto tempo aguentaremos todos nós?…

5 anos de paz

4 Abril 2007

Assinavam há cinco anos atrás na cidade do Luena, Moxico, o memorando de Luena, Neto e Kamorteiro, pondo assim fim a um conflito cuja dureza perdura ainda na memória de muitos. Quantas e quantas vezes nós nos cruzamos com tantos que nos vão contando aquilo que viveram e passaram. A esta distância, parece que a guerra jamais voltará ao país. Talvez. Cheguei ainda a paz não tinha um ano. Muito há ainda a fazer. Mesmo muito. E quando olho para Moçambique, onde cheguei igualmente era a paz uma criança, país com muito menos recursos que este, apenas posso dizer para mim mesmo que grande trabalho fizeram os moçambicanos!

Voltando a Angola, o maior entrave ao desenvolvimento é, destes anos que por aqui ando e vou vendo, conhecendo e observando pelo contacto directo com já uns milhares de pessoas de origem e condição social diversa, é a mentalidade. Será este, sem dúvida, o maior desafio a vencer. Pudesse o dinheiro mudar positivamente as pessoas…

Madura

2 Abril 2007

É sempre mais doce :)

Muitooooooooos parabéns miúda!