O que hoje aprendi

Tanto, mas tanto… O choque de gerações por cá é evidente e sobrepõe-se às questões ideológicas e mesmo político-partidárias. É extremamente interessante, como outsider, poder assistir, ao vivo, a estes “confrontos” que se vão registando nesta pujante e dinâmica sociedade angolana. Pecando pela simplicidade analítica, é surpreendente ouvir os registos de quem entende que se devia ter preservado o que de bom havia no período colonial, os mais velhos, ouvir os que, mais novos, entendem que há que ir em frente a todo o vapor com a força e dinâmica intrínsecas à juventude e os que, no meio destes, ficaram atordoados pelos anos, com um sentido artificial, passado em terras longínquas onde aprenderam o que já não existe e que persistem em dizer que a culpa é toda dos outros, incluindo os que, há 500 anos, aqui passaram, pela primeira vez… É evidente que o futuro está traçado e um determinado quadro mental não terá qualquer espaço de manobra na sociedade angolana actualmente em metamorfose profunda.

6 Respostas to “O que hoje aprendi”

  1. miguel A. Says:

    magnifico texto. Uma análise fria e lucida, coisa que nesta terra nem sempre se consegue ter – e agora não tou a falar da excelência das fotos.

    É por isso é que, como dizia alguém cujo nome não me consigo recordar, este já é o Blog da moda…

  2. pp Says:

    sao os textos, as fotos, os moveis (lol), o gerador, e’ com tanta coisa mas tanta que este nosso “Chefe do blog” nos brinda…
    Bem haja, miguel :)

    [sempre de prata :)]

  3. miguel Says:

    ó miguel A., caramba! LOL! Isto, blog da moda? ahahhahahahah Obrigado de qualquer maneira.

    Já viste pp? E ainda a procissão vai no adro e não escrevo tudo o que gostaria porque não posso, como decerto compreenderás e o miguel A. também daqui a algum tempo…

  4. miguel A. Says:

    LOL. Não é o Blog da moda, é o Blog onde a malta se sente bem… e isso é que interessa…

    Claro que não se pode escrever tudo, senão não tinha piada perdermos (ou investirmos, depende do ponto de vista) meia hora a tentar ler nas entrelinhas.

    Para quem cá está há mais tempo, decifra quase tudo à primeira, os outros (eu, p. ex.) levo um bocadinho mais, mas não interessa. É como na escola, no inicio custa um pouco, mas não se pode desanimar.

    Abraço.

  5. ds Says:

    Conhecia o anterior sem destino. Pensei que tinha acabado mas hoje uma amiga disse-me que se tinha maximizado em SDBLOG. Parab��ns. Este texto ��na prova. Penso o mesmo. Que seriam os portugueses se os ar��bes n��o tivessem por c�� passado? ds

  6. miguel Says:

    Ah miguel A. isso é simpático! Muito obrigado! Quanto ao escrever-se tudo, por vezes não interessa ou não se pode porque não se sabe quem vem aqui e, noutras vezes, faz mesmo parte do estilo lol! Abraço.

    ds, muito obrigado. E quem diz os árabes diz tantos outros! Os fenícios, os romanos, os vikings, etc e tal…

Os comentários estão fechados.