Muita pujança

Socorrendo-me do Angola Economic Outlook do BES, publicado em Abril de 2007, alguns números da economia Angolana são, de facto, assinaláveis. Note-se, por exemplo, no PIB per capita: em 2003 era de $959,40 esperando-se que atinja os $3.390,90 em 2007 (projecções do FMI). Isto tendo em consideração as projecções demográficas que apontavam para uma população de 14,6 milhões em 2003 e de 16,4 milhões em 2007. Ainda comparativamente, em 2003 produziam-se 900 mil barris de petróleo por dia estimando-se actualmente em 2 milhões de barris a produção diária de crude angolano.

De referir igualmente as várias intervenções que têm vindo a ser efectuadas no mercado cambial de modo a não só estabilizar a moeda como valorizá-la, com vários objectivos que não apenas o controlo da inflação. Foi assim em finais de 2005 (Novembro e Dezembro) com uma valorização repentina extremamente forte e agora, no início do mês de Maio, com a descida do USD face ao AKZ (kwanza) de 79/80 para os 75.

Por último, dois dados que são igualmente impressionantes: a projecção da produção diária de crude para os 3 milhões de barris em 2010 e o facto de Angola ser o 5º maior produtor mundial de diamantes logo a seguir à África do Sul.

E?…

9 Respostas to “Muita pujança”

  1. Mario Says:

    Caro Miguel, o cenário económico é sem dúvida animador e a entrada maciça de investidores estrangeiros em todas as áreas da economia angolana é um sinal de estabilidade. Mas até que ponto não poderá tudo isso ser posto em risco nas eleições sem data marcada?

    Ou será que quando conseguirem acabar o recenseamento, o motor económico terá tanto balanço que os resultados das eleições serão insignificantes para a economia do país como na maior parte dos países europeus?

  2. kianda Says:

    :-) Estava a ler o teu post e … com a minha passagem (curta é certo), por Angola com um olhar “perto” da economia … estava a ler o teu post e … a cada linha, a cada paragrafo pensava E? … belo final!Infelizmente, belo final !!!

  3. miguel A. Says:

    Não sei se será mais correcto ‘et pour cause? do que ‘e’?

  4. miguel Says:

    Mario. o cenario economico e mais ou menos animador ja que, no seu todo, apresenta um conjunto de fragilidades que poderao por em causa o crescimento a medio/longo prazo de forma sustentada. Basta alias ver que, apesar do forte crescimento economico registado nos ultimos 4 anos, crescimento e nao desenvolvimento, por muito dinheiro que haja as infraestruturas do pais continuam profundamente debeis. Poderia citar um variadissimo conjunto de situacoes mas penso que nao valera a pena. Por muito pouco tempo que se tenha de Angola ou, melhor, Luanda, qualquer um se apercebe das suas deficiencias a todos os niveis. Saindo de Luanda, o quadro fica ainda mais nitido.
    Oh Kianda, ja vi algo de parecido do outro lado do continente, independentemente das diferencas de escala lol!
    miguel A., se fosse possivel fazer-se uma viagem por ai fora, pelo mundo fora, nada mais seria, tirando alguma excepcoes, do que uma questao de pormenor…

  5. pp Says:

    este nosso Chefe do Blog e’ fantastico, adorei o E?… mas la’ tenho que colocar os “brakes on”…

    [sempre de prata :)]

  6. Marco Craveiro Says:

    eh este o relatorio? interessante…

    http://www.bes.pt/sitebes/cms.aspx?plg=b0c7976d-3e99-4900-ad4b-5d5f28495c74

  7. Mario Says:

    Acrescento outro mais extenso publicado há pouco tempo:

    http://www.cfr.org/publication/13264/us_must_strengthen_ties_with_angola_to_protect_strategic_energy_and_security_interests.html

  8. miguel Says:

    pp, por enquanto acho que isto não é censurado lol.

    É mesmo esse Marco, mas acho que é só para clientes não?

    Não conhecia esse Mario. Muito obrigado pela dica ;)

  9. pp Says:

    Chefe do blog, se…
    (desisto, iria ser censurado lol e perdia a piada)

    [sempre de prata :)]

Os comentários estão fechados.