Liberdade religiosa

Lá na empresa somos assim. Temos para todos os gostos e feitios. Uma é católica, outra da universal, a da sala maior da maná, a da área fria evangelista, etc… Confesso que tive algum cuidado em não repetir para não me dar ao trabalho de encontrar outra com repetidas, para a troca.

Há dias saí do gabinete e, ao dirigir-me à porta, “apanhei” uma conversa religiosa no ar que tinha como personagens principais um general baleado e a beata da universal (só o soube depois). A miúda tinha ido à casa dele, fazer uma oração de cura. Nem queria acreditar. Ainda pensei para os meus botões “hummm, isto dá direito a despedimento com justa causa!” mas, após consulta da LGT, não encontrei nada que suportasse a minha tentação… Bom, piadas à parte, aproveito sempre estas ocasiões para abalar os alicerces desta miudagem. Falo bué. E é facílimo desmontar os seus argumentos mesmo sabendo que não mudam de posição. A minha grande surpresa foi quando não me souberam responder porque razão as 24 horas diárias eram divididas em dia e noite…

Vai uma religião?

2 Respostas to “Liberdade religiosa”

  1. ac Says:

    vê lá se às tantas não fazes como eu com as novelas da TV: como não vejo nenhuma mas apanho pedaços de várias, quando alguém fala das novelas misturo tudo como se fosse uma só!
    Mas o que tem mais piada é o facto de que raramente os meus interlocutores, detectam que estou a misturar tudo.LOLLL
    MAs tem lá cuidado porque com perguntas destas ainda te elevam a Bispo de alguma “religião” só pelas questões colocadas e não pelas respostas dadas!

  2. miguel Says:

    Não… isto é mau, muito mau. A IURD em cada esquina… até fico parvo!

Os comentários estão fechados.