p.161, 5ª

O maschambeiro-mor desafiou-nos a participar nesta corrente – já que não há rally paper, divertimo-nos antes assim (ainda por aí há o da Ernst & Young?) – que também vi na net, referindo-se a nós como “(bloguistas abandonados que ainda não tenham sido convocados para tal).” Daria uma boa associação de bloggers…

Como não tinha nada à mão, fechei os olhos e escolhi um livro ao acaso.

“Antigamente era na cozinha, havia um prego atrás da porta.” in para sempre de Vergílio Ferreira.

Ora bem, dar-lhe continuidade é que é mais complicado lol. Vários dos links ali do lado referem-se a blogs entretanto encerrados ou inactivos. Não actualizo porque, na realidade, leio poucos blogs e os que leio já responderam… Jo Ann, pp, maria, ac, miguel A. e Mario fica aqui o repto lol!

Miguel

17 Respostas to “p.161, 5ª”

  1. pp Says:

    las funciones siguientes no son compatibles – canon

    lol estou a instalar a impressora e a ler o livro das instrucoes,a p. 161, 5a esta’ em espanhol

  2. maria Says:

    Miguelito: -Acho que tenho um complexo de «edopo»…
    Toda a Mafalda de Quino, Publ. Dom Quixote

  3. Jo Ann v. Says:

    “Messire, votre confiance m’honore. Les… les trois animaux… ont sans doute des… des qualités qui leur sont propres…”
    in Le Mariage d’Anne d’Orval
    dum colega blogueiro, Sébastrien Fritsch :D

  4. Jo Ann v. Says:

    * Sébastien

  5. Miguel A. Says:

    Não um, uns poucos que me marcaram:

    Se isto é um homem – Primo Levi

    Leão, o Africano – Amin Malouf

    Os dados estão lançados – Jean Paul Sartre

    e mais alguns que ficam para uma próxima vez…

  6. Miguel Says:

    Sim Miguel A., mas tens que transcrever para aqui a 5ª frase completa da página 161… lol!

  7. AC Says:

    “Por outro lado, há líderes que dão muita importância às suas falhas porque têm um nível de autoconfiança muito baixo;” in Os novos Líderes a inteligência emocional nas organizações,de Daniel Goleman, Richard Boyatzis e Annie Mckee

    Eu não sou de modas e fui logo ao blog ao lado (leia-se ao Life Goes on…) colocar lá a frase e o desafio… deixa ver se cola.

  8. Jo Ann v. Says:

    (Se isto é um homem é um espetaculo!!!)

  9. AC Says:

    o quê Jo Ann?

  10. Miguel Says:

    Lê mais acima ac…

  11. miguel A. Says:

    Epá, tenho os livros no rectângulo, mas amanhã cumpro o desafio…

  12. pp Says:

    LOL jo!!!

  13. ac Says:

    lolll é o que faz visitar Blogs a correr… já vi a resposta

  14. Miguel A. Says:

    Bom, atrasadissimo, mas tinha de cumpir o que escrevi (bem) mais acima.

    Cá vai então:

    … A resposta de (Karl) Marx é a seguinte: a taxa de lucro calcula-se não relativamente ao capital variável, como a taxa de exploração, mas relativamente ao conjunto de capital, quer dizer, relativamente à soma do capital constante e do capital variável…

    In ‘As estapas do pensamento sociológico’, Raymond Aron, Ed. D. Quixote, série Sociologia, 6ª Edição.

    Nesta altura em que o capitalismo absolutamente selvagem volta a estar na moda, achei adequada a frase.

    Pag 161, 5ª, conforme pedido.

    E pronto, tá ‘finito’

  15. Miguel A. Says:

    Epá, o nome correcto do livro é ‘As estapas’ e não ‘Estapas…’

    No entanto, ao ler a contracapa (comecei a ler ese livro antes d eir para Angola e depois deixei-o cá ficar, por excesso de peso na bagagem, achei uma certa piada.

    O Autor, falecido em 1983, escreve assim:

    As ‘Etapas do pensamento Sociológido,´versa sobre 7 estudos sobre os fundadores da Sociologia – Montesquieu, Comte, Marx, Tocqville… – e sobre a geração da viragem do Séc XX – Durkheim, Weber… – procura investigar as origens da sociologia moderna…um novo modo de pensar sociológico,… que desabrocha neste final do Sec XX… O homo Sociologicus substitui o homo economicus…

    Não deixa de ser curioso, o que Raymund Aron pensava à 25 anos atrás… o homo economicus em vias de extinção… LOL, brincadeira tem hora…

  16. Miguel A. Says:

    LOL,

    ETAPAS, safa…

  17. miguel Says:

    Alguma vez Miguel A.? Jamais! Jamais! (versão francesa…).

Os comentários estão fechados.