Frio

Quando eu disse há uns meses atrás que já tinha saudades do frio, chuva, vento e tal era só, e apenas, em termos líricos e nada mais do que isso…

Miguel

35 Respostas to “Frio”

  1. Jo Ann v. Says:

    Hehehehehehehehehehehehehehehehe

  2. Jo Ann v. Says:

    Muahahahahahahahahahahahahaha

  3. miguel Says:

    E tu ainda gozas?! Como se aí estivesse muito quente! ahahahahahahahah

  4. maria Says:

    Tadinho! Está com frio! :)
    Pp e Miguel A., digam quantos graus estão ai em Luanda! lol

  5. miguel Says:

    errrrrrr o meu pai chegou de Luanda hoje e diz que estava a chover a potes…

  6. catarina Says:

    AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH “em termos líricos”! :DDD

  7. maria Says:

    Miguel,” em termos liricos” eu perguntei quantos graus estavam, não perguntei se estava a chover. :D ;)
    Miguel e todos os fieis ao blog, bom fim de semana com chuva, frio e calor! :)

  8. Miguel Says:

    Obrigado maria, para ti e todos também :))) (hoje pelo menos está sol por estas paragens!)

  9. kianda Says:

    Tá um sol bom , Miguel !!! Vou neste momento pra rua passear o meu cãozinho, vou a pé pra praia, vou falar ao telemóvel enquanto ando a pé, levo dinheiro na carteira pendurada ao ombro pra beber um café … nõ tem calor … mas tem liberdade de movimentos … nem parece que a Angolana sou eu, xééééééééé !!!

  10. pp Says:

    bem… estou neste momento aqui, a pensar que vou sair dentro de 5 minutos, vou andar de carro, nao tenho cao, vou ver a praia e se me apetecer vou passear na praia, vou falar ao telemovel onde me apetecer, nunca ando com dinheiro, bebo cafe de manha em casa e tenho uma maquina novinha (belo presente!) de cafe’ no escritorio, tenho calor mas gosto, continuo com a minha liberdade de movimentos… sou angolana e estou em angola!!!!!
    (ainda me questiono se por vezes e’ a mesma que a vossa… ou sera’ que aprendi a dar valor ao pouco – mas que me enriquece – que aqui temos, comparado com o muito, desvalorizado que por ai ha’ :) )

  11. pp Says:

    eu sei, talvez seja o espirito natalicio mas ontem um amigo ingles mostrou-me a lista dos presentes de natal dos filhos e disse-me: a melhor prenda seria traze-los aqui…

  12. maria Says:

    PP, eu em Luanda precorria todos os dias “Kms” a pé, na carteira tinha o $ suficiente para um café, um bolinho e uma garrafinha de àgua,o téle,a minha maq. fotografica e umas toalhinhas refrescantes (porque o calor era bué!).E nunca me incomodaram! Acho que se uma pessoa sai de casa com “medo”, não se liberta.
    E espero fazer a mesma vida daqui a uns dias. :)
    Já estou batida na movida angolana! LOL

  13. maria Says:

    E para acrescentar à história….A companheira do meu amigo N. dizia-me qdo eu chegava: onde foste hoje??.. eu respondia fui aqui, fui ali…Ela dizia-me: tu és doida, ai é só gatunos!
    Á noite é que eu tinha o meu “motorista” disponível! Precorria “kms” no carro do meu amigo N.:)

  14. miguel A. Says:

    Concordo inteiramente com a Maria. Quem tem medo, fica em casa… embora cautela e caldos de galinha nunca tenham feito mal a ninguém.

    Mas aqui já me aconteceu uma melhor: num sábado de manhã ir fazer sauna à Marginal, e seguir atrás de um velhote ‘local’ (sem querer ofender, tem de se dizer negro, senão não se percebe).

    O velhote, na casa dos 60’s e muitos, não tirava os olhos de mim, como medo que eu o assaltasse, chegando a parar ara eu o passar, dada a natural diferença de ritmo de passada… lol

  15. maria Says:

    « sou angolana e estou em angola!!!!!»
    Só agora é que estou a ler melhor! :) Não sei porquê pp, mas sempre tive a ideia que eras portuguesa a trabalhar em Luanda. Alguma leitura dos teus posts “deu-me” essa ideia…
    Revoltaste! :)

    Miguel A., quero ser assaltada por ti! LOL
    Vamos ser “vizinhos” no Out/Caribe. ;)

  16. pp Says:

    lol maria, andas a ler-me aos bochechos.

  17. pp Says:

    lol fiel companheiro aindas estavas com o ritmo da noite??
    psssiiiuuuu… fiel companheira, isto e’ so’ a brincar :)

  18. miguel A. Says:

    llllloooooooolllllllll PP.

    Não, por caso não andava, até estava equipado mais ou menos a rigor.
    Mas a cena merecia ser vista, porque contada desta forma parece exagerada…

    Mas desconsegui; não assaltei o velhote…

  19. miguel A. Says:

    PP, sem duvida que o teu amigo ‘camone’ tem toda a razão: essa seria sem duvida a melhor prenda que me poderiam dar este ano…

  20. maria Says:

    PP, e não tenho uma costela alentejana! Que faria se tivesse! LOL :)

  21. kianda Says:

    Pois pp, vivi em Angola desde o nascimento – 1970 até 17-Jan-2002 qdo vim para Portugal p poder acabar o curso … saí de Angola pela primeira vez com 12 anos em 1982 já depois da morte do Neto . . . fiz a primária na escola 30, escola 120 (4ª classe) depois 5ª e 6ª no Kanini , 7ªe 8ª no Kiluanji, pré Universitário no Puniv (ainda eram 2 anos)e Univ. Agostinho Neto … trabalhei um ano no prédio alto que era BPA na altura, Banco Popular de Angola … com 13/14 anos passei a ir a pé sózinha pra escola, atravessava a Zona Verde (era aberta e não passavam carros), vesti calção azul escuro e tshirt azul cllarinha da OPA (q feios que ficavamos), fiz praia na rotunda, comi gelados dentro do plástico e não morri de cólera, li muito com vela pq quase ninguém tinha gerador e o Savimbi deitava abaixo uns postes , a Maianga era largo, a Mensagem era livraria , etc etc etc …

    Durante os anos que fiquei por cá fui todos os Natais a Luanda sentir o cheiro da minha terra e sempre com a certeza que voltaria, o ano passado resolvi voltar (pensava eu que pra sempre) e estive aí durante um ano … pp se esta é a tua Angola, tens razão, não é a minha !!!

    As minhas escolas primárias não existem, viraram prédios ou residência, a dor que sinto ao ver a degradação diária em que estão o Kanini e Kiluanji com roupa nas varandas, roupa ??? São edificios pensados “com cabeça” para escolas (salas em cima para arejar) , pátio embaixo para sombra, construção sólida … o povo não tem escolas porquê??? Ainda tentei juntar ex-alunos para irmos voluntariamente dar aulas, ouvi “esquece, isso é utopia” …

    Podes até ir passear à ilha mas talvez vás para as praias onde existem bares e estão minimamemte limpas, não vais para a rotunda, nem passear na Floresta …

    Eo Mussulo com as construções de 2 andares e serão 3 também ? E a baia do ski …

    E a Corimba da minha infância e juventude, com os clubes dos Franceses virou lixeira … vou por no meu blog uma foto de Abril de 2006 da praia onde eu cresci para veres que com as construções de Luanda Sul onde vai parar o lixo quando chove …

    Tens razão, pp, a minha Angola é diferente da tua. E como eu sonhei que o meu filho conhecesse a minha Angola, mas ele nunca conhecerá … na tua, ele já viveu !!!

    Sou saudosista ? Se calhar … Acredito que sejas da minha geração e tenhas vivido tudo que vivi e mesmo assim aches que esta é a Angola que vale a pena … eu respeito !!!

    Sempre que vou a Angola de férias (todos os anos) e o ano em que voltei a viver em Luanda, nunca tive medo, andei sempre sózinha de dia e noite pq vivo sozinha com o meu filho, andei sempre a pé de dia … fiz tudo o que vcs fazem (ah, não falava ao telemóvel na rua, não desligava o carro quando ia buscar alguem à noite na Antonio Barroso) . Não tive medo mas tenho consciência que é perigoso … quase todos os meus amigos e amigas , angolanos , pretos brancos e mulatos foram assaltados à mão armada e alguns em situações complicadas.

    Ser mulher, viver sózinha e subir as escadas de um prédio (Maianga por ex) às 22:00h (q não tem guarda) para voltar para casa é um risco, podemos ter uma arma apontada à cabeça e com sorte ficar “só” sem a carteira e o telemóvel … isto aconteceu a uma amiga minha que vivia e vive sem medo … mas ao segundo assalto (tb com cano da arma geladinho) resolveu voltar pra casa da mãe (aos 33 anos) … acho que ela pensou vou viver sem medo … mas tipo assim , num sitio um pouco mais seguro !!!

    Sou Angolana, mas por opção este ano pela primeira vez vou passar o Natal e o fim do ano fora de Luanda. Sou Angolana , e por opção vivo longe da minha familia e dos meus amigos. Sou Angolana , e por opção ganho bem menos do que ganharia em Angola.

    Ainda bem que tu pp, Maria e Miguel A, conquistaram uma liberdade de movimentos que eu não consegui. E sou aquela que um dia disse “Havemos de Voltar …”

    P.S. Hoje o meu irmão voltou a sair de casa às 6h da manhã e chegou à escola das miúdas às 7 e tal … vive na Corimba , onde vive há +/- 21 anos … eu, em 1999 fazia aquela estrada em 15min pra ir à praia à hora do almoço, num dia de semana … sou saudosista!!!

  22. catarina Says:

    Kianda, espectaculo de texto. :) Obrigada por partilhares isso connosco.

    Eu vivi lá também mas vim embora muito antes disso; e nunca mais voltei. As minhas memórias estão intactas e são minhas e de continuidade de todas as gerações que lá viveram desde o princípio do século. Ou seja, de um país que não existe. Sei que será duríssimo voltar e estilhaçar a minha infância toda. Por isso nunca mais voltei.

  23. Falcon Says:

    Quem te mandou ir para Tuga. Continuação de boa férias. Abraços.

  24. miguel A. Says:

    Faço das palavras da Catarina as minhas: obrigado pela partilha, Kianda.

    De facto, o teu texto, se eu ainda tinha algum tipo de duvida, só vem corroborar a minha tese: foram 2 gerações perdidas (a dos nossos pais e a nossa, dado que eu sou de ’69) pois a África romântica, daqueles anos, já não existe).

    Agora eu não sei se conquistei alguma liberdade de movimentos; penso antes que enho tido alguma sorte, apenas isso.

    Mas também só cheguei aqui há 9 meses, calma, por vezes quem me ‘oiça’ a escrever desta maneira pensa que domino por completo a situação, mas não é nada disso. Tento apenas viver um dia de cada vez.

    Claro que todos temos a mesma opinião sobre Luanda (que não é provavelmente a mesma sobre Angola), que isto é uma não-vida em muitos aspectos, apenas sobrevivência, e sempre com uma certa dose de loucura à mistura, pq ninguém 100% racional de adapta aqui.

    Gostei muito deste post, muito mesmo

  25. maria Says:

    Kianda, tal como o Miguel A. e a Catarina gostei de ler a tua opinião.
    Eu todos os anos vou a Angola de férias! Um dia talvez vá viver para lá.Quem sabe? O futuro a Deus pertence.Eu tenho lá um amigo que tambem lá nasceu, voltou em 2002 e não quer regressar a Portugal. Ele adora Angola! Ambos somos dos anos 60 ( quarentões :) )! Ambos voltamos para Portugal em 75!
    Tal como tu, eu tenho um amigo que nasceu ai. Voltou a Angola e passados 15 dias regressou a Portugal e disse: – Aquela já não é a “minha terra”!
    Este assunto deveriamos estar a falar olhos nos olhos entre todos e não aqui, porque aqui acabamos por não desenvolver a nossa “vivencia”.
    bj pra ti

    Um “recadinho” à Catarina, vai lá! ;)

  26. maria Says:

    Todos os dias “passo os olhos” por alguns blogs. Deixo aqui um…

    http://komeentao.blogspot.com/

  27. pp Says:

    minha querida kianda, contaste a nossa historia mas cada um tem as suas razoes, os seus saudosismos e o seu “(re)voltar”.

    para mim, e’ aqui que relembro e “revejo” quem partiu, e’ aqui que a minha alma esta’ tranquila. e’ aqui que posso dar a minha filha o que quero (pq tb sou mae solteira), e’ aqui que eu sei estar…

    talvez a minha vida nao seja exemplo nos dias que correm mas e’ aqui que sou feliz e…
    eu sei que me compreendes :)

  28. maria Says:

    Pela última frase da pp, lembrei-me de uma frase que li esta semana, num jornal, de Julio Machado Vaz: Não acredito na felicidade, apenas em momentos felizes.
    Resumindo a minha ideia…Eu fui feliz na minha infancia,na minha terra e eu sou feliz sempre que volto à minha terra! São esses momentos que me fazem feliz! :)

  29. Miguel Says:

    Acabei de acordar por estas paragens e dou com este rol de comentários :) Muito obrigado pela tua partilha Kianda. Mais do que compreender-te, é também sentir uma parte do que escreveste, salvaguardadas as devidas distâncias, por parte de quem nunca viveu o que descreveste ou teve alguém da família que lhe contasse essas memórias. Senti o mesmo em Moçambique e interrogava-me o que passaria no íntimo de muitas pessoas que viveram, acompanharam ou foram surpreendidas pelo progresso. Uma das respostas veio através da irmã mais velha de um grande amigo meu que tive o prazer de levar a N’dalatando.

    Mas claro está, as pessoas acabam por adaptar-se a qualquer realidade e, desse modo, encontrar os aspectos positivos/negativos que as fazem prosseguir com a vida no(s) espaço(s) em que se sentem bem.

    Como tu, não ando exactamente à vontade em Luanda. Cada vez menos, se preferires. Daí que a minha vida por lá é cada vez mais recatada. Tal como tu, já ouvi inúmeras histórias de amigos e conhecidos que foram vítimas, portugueses e angolanos. A última das quais, uma das nossas gestoras de conta, que após ter sido assaltada pelo gatuno, em pleno dia, com pistola apontada à cabeça, telefonou-lhe na tentativa de negociar com o mesmo a devolução dos bens e acabou por receber em troca um pedido de namoro do ladrão.

    Tal como tu, uma amiga que fez o curso no estrangeiro, seguiu-se o doutoramento, regressou a Angola e ainda não completou 6 meses e pondera se terá sido a decisão mais acertada da sua vida. De qualquer modo, já interrompeu o regresso para umas férias de emergência.

  30. pp Says:

    maria, foi e e’ aqui que tive e tenho os meus momentos felizes :)
    (a moda de j.m.v.)

  31. maria Says:

    PP, não te vou contar aqui os sentimentos que tenho quando entro e saio de Angola. Conto-te daqui a +/- um mês pessoalmente! ;)
    O Miguel sabe a data da minha viagem. ;)
    O Miguel leva-nos ao Eden e mostramos-lhe o quanto somos felizes com ele! ;) Eu prometo que levo a minha t-shirt XXL! LOL :)
    ( afinal foi ele e é ele o “culpado” por estarmos aqui a teclar sem nos conhecermos :) )

  32. kianda Says:

    Escrevi bué né ??? Acho que foi o maior post que alguma vez coloquei, eheheh. Vou-vos contar um episódio que me aconteceu a semana passada. Ligou-me uma amiga com quem costumo viajar a perguntar se já tinha planeado a nossa viagem de Março e eu respondi-lhe que não dava porque na Páscoa ia aí … “o quê? tás maluca? vens aqui? aqui não tens estradas, vens fazer o quê???” e eu “tenho que ir todos os anos sentir a minha terra, tenho que ir, preciso de ir respirar Angola…” … ouvi do outro lado da linha “deixa-te disso, prepara mazé a nossa viagem pela Europa … ” , no dia seguinte contei entre risos esta história ao meu irmão e ele disse “a T. tem razão, desde que bazaste o trânsito tá pior, vens aqui fazer o quê? Terra??? Não tem problema, eu levo-te agora em Dez um saco com um bocado de terra”

    Eu compreendo-te pp, e nem imaginas a “porrada” que levei até há 2 anos atrás por gritar bem alto que Angola é o melhor sítio do mundo … e as críticas que ouvi de um amigo Guinense por estar sempre a falar mal de Portugal e dos Portugueses … deixei de ser radical, só isso, cresci acho eu … nem Angola é o melhor país do mundo, nem Portugal é assim tão mau !!!

    Angola é definitavamente a minha terra, o meu País, é a bandeira que uso sem hesitar mas não concordo com muita coisa que vejo, analiso e até vivo e por isso falo.

    Quando estava a escrever o post tava a pensar nisso Maria, deviamos estar frente a frente :-)

    Sabes Mario A., há uma coisa que temos feito nos últimos anos que é viajar de carro a conhecer um País que não conhecíamos, e realmete Angola tem paisagens (ainda quase virgens) deslumbrantes … mas que contrasta com a pobreza e fome que ainda é pior no interior do país.

    Chefe do Blog obrigado por me deixares abusar do espaço :-), e temos que admitir que entre muita coisa boa que o angolano tem, imaginação não falta … a do pedido de namoro do gatuno é divinal !!!

    Pra terminar, porque realmente este tema pode ser eterno, também não acredito na felicidade e sim em momentos felizes.

  33. maria Says:

    Kianda, então vou-te contar esta: Quando eu estava a pagar a passagem para Angola à R. ( tb ela angolana ) da agencia de viagens, perguntou: – Em que classe vais? Eu respondi-lhe: Na classe dos pobrezinhos! :) ( pois o meu bilhete não é na classe dos executivos ;) )… A R. disse: -Pobrezinhos não, com esse $$$ ias às Caraibas (hotel, almoço, jantar ) por uma semana…Então eu respondi: – R., eu sou feliz em ir à minha terra! :)

    Que o transito está pior na banda isso é verdade! Já ouvi dizer…

    Kianda, ninguem está aqui a julgar ninguem.. só estamos a ler as opiniões de cada um. ;)

  34. maria Says:

    Kianda, se calhar para o ano vou às Caraibas ou dou um giro pela Europa…. Se calhar… O mundo dá tantas voltas! :)
    bj pra ti

  35. kianda Says:

    AHhhh! Claro Maria, eu sei que ninguém tá a julgar niguém, eu também não tou, nem quero que pensem isso … é o problema de escrever e não falar, o “tom” pode ser mal entendido :-)
    Adoro “ouvir-vos” e Amigos como sempre, ehehehehe

Os comentários estão fechados.