Decisões

Verdadeiramente desastrosa a que foi tomada no sentido de fechar completamente ao trânsito uma das ruas mais movimentadas do Maculusso, pelas 19h, de modo a pôr-lhe um tapete novo. O tapete é bem-vindo, já o mesmo não se pode dizer de se fechar a rua em plena hora de ponta…

Ainda não percebi porque é que cá não se trabalha à noite, excepção feita para algumas actividades. Para além desta a não menos surpreendente ausência de trabalho à noite (e outros) por parte dos chineses que estão a esburacar há meses a ilha de Luanda. Para além de outras questões simplesmente inacreditáveis associadas à execução da obra causando enormes transtornos a quem passa pela ilha, apenas trabalharem um turno é que não lembra ao diabo.

23 Respostas to “Decisões”

  1. maria Says:

    ahahahhahah…Ainda estão a esburacar a ilha?

  2. kianda Says:

    acho que já comentei isso por aqui há uns meses atrás, também nunca percebi, fartei-me de comentar e atirar a pergunta para o ar (mas ninguém respondeu, eheheh) , porquê que muitos trabalhos não são feitos à noite, porquê que os camiões, os bigggggggs, os contentores, não circulam SÓ à noite … porquê? porquê (já pareço o Matias Damásio, LOL)AHHH, e não me venham com a questão da segurança…

  3. pp Says:

    maria, esta pior que nunca e as famosas “massas betuminosas” so’ as veremos daqui a muitos meses.

  4. migas Says:

    Posso explicar? Posso? Por experiência (não própria mas de conhecidos) se já às vezes é difícil conseguir ter uma equipa completa para trabalhar de dia, imagina o que será ter uma equipa a trabalhar de noite! Porque o problema não será só em juntar a equipa que vês a trabalhar na rua mas há logística para o envio do betuminoso e afins. Não estou a defender trabalhos de dia, porque como sabes o meu dia (que é mais noite!)começa às 4.30h, à conta do trânsito estúpido e sem regras desta cidade, estou antes a dar a opinião de quem sabe que por vezes, as coisas não são tão fáceis como queremos que sejam. Há excepções, como é óbvio. ainda há quem consiga trabalhar de noite. Na minha obra conseguia-se, mas à conta de mão-de-obra estrangeira porque, no início, mesmo a meio das betonagens, às 18h certas, os trabalhadores locais abandonavam o serviço! Daí, algumas empresas decidirem seguir o provérbio: quem não tem cão, caça com gato. :o) Mas também existem empresas a trabalhar de noite com angolanos. Resigna-te Miguel. Lol É o que eu já fiz, depois de passar horas, diariamente, enfiada no carro.
    A propósito do trânsito, aluga-se casa na cidade. Lol

  5. migas Says:

    oh Migul, os meus comentários andam a sair pró granditos porque eu ando em compasso de espera, em casa, e sem tv. Tenho de me entreter com algo, né? Lol

  6. maria Says:

    pp, estarei lá para ver as betominosas :)

    Migas, estão lá na ilha tantos engenheiros a trabalhar à noite no Miami, no Chil, no Caribe LOLOLOL :D Migas, foi uma piada ;) :)

  7. kianda Says:

    finalmente alguém respondeu LOL … obrigada Engª !!! Mas há muita coisa no angolano, e por mim falo, que com anos e anos de hábito é dicifil mudar … mas com paciência e vontade de mudar, por vezes consegue-se!!!

  8. migas Says:

    Concordo plenamente, Kianda. Eu nunca tomo o todo pela parte. Mas que às vezes fico irritada, isso fico. Por exemplo, estou à uma semana à espera da moça que disse que vinha cuidar da minha casa. Ela disse que vinha no dia seguinte, mas o que é certo, é que uma semana depois continuo à espera. Por agora, tranquilo, mas quando recomeçar a trabalhar, não vai dar, né? E olha que o ordenado não é assim tão pequeno como já vi algures num comentário por aqui. A empregada (hoje já veio outra cá, vamos ver se amanhã aparece) vai receber 500 dolares por mês e como missão, tem de cuidar de uma casa com duas pessoas. Mas mesmo assim, parece tarefa difícil arranjar uma que queira aceitar! Por isso, às vezes, nem um acréscimo no ordenado convence certos meninos a trabalhar durante a noite. Salvo raras excepções, é claro. :o)

  9. Miguel Says:

    Espera aí… Nem com 500 está satisfeita? LOL!

    Quanto às estradas e o trabalhar à noite, tudo é relativo… é uma questão de estarem criadas as condições. E cá, como em toda a parte, há formas de incentivar as pessoas a trabalharem à noite. Se os teus amigos precisarem de conselhos, estou disponível lolololol. Não é apenas o ordenado migas. É tudo…

  10. kianda Says:

    500???!!! Migas estás a estragar o mercado LOL … mas concordo com o Miguel, por vezes é uma questão de organização e de estarem criadas as estruturas … o angolano quer o capitalismo com o patrão a dar tudo, ainda não percebeu bem como funciona / ou deve funcionar o sistema e isso leva tempo e … paciência.

  11. engricky Says:

    Realmente os 500 paus é pra dar cabo da vida da malta, oh Migas… Se calhar a empregada não aparece pq pensa q queres q ela pinte a casa ou coisa parecida. É q a ganhar 500 dólares… hehe

    A outra questão q a Kianda tinha falado é q me irrita bastante, a dos veículos pesados a circularem d dia. Embora compreenda q o processo no Porto d Luanda é cada vez mais burocrático (e agora q tiveram autorização pra mexer nas taxas aduaneiras então…) não percebo como é q não há um esforço a nível do Governo para lançar uma legislação q proíba a deslocação destes “entraves” durante o dia. Tirando os candongueiros, são o maior empecilho q encontro nas estradas.

    A resposta do Chefe relativa ao trabalhar d noite… Corroboro a teoria!

    P.S. Ontem descobri a palavra do momento: Concomitantemente.
    Malta, estou a pensar em criar um registo d “palavrões” (com sotaque, claro). Já tenho o paulatinamente, o engajamento e o concernente. Se se lembrarem d mais alguns aqui da banda mandem q eu anoto ;)

  12. migas Says:

    Miguelito, eu falei do ordenado, relativamente à empregada. Não ao facto de se trabalhar à noite. Apesar de ter enfrentado 2 greves de trabalhadores (medo) e a principal reinvindicação ser o ordenado e o pagamento das horas extra, não me parece que incentivos monetários, por si só, vão resolver a questão. Curiosamente, esta semana tive a informação que um amigo que decidiu trabalhar à noite, teve menos produção do que a semana passada que trabalhou apenas durante o dia. Lol Claro que as chuvas não ajudaram, é certo. Quanto à empregada, a minha empresa é mesmo mãos-largas! Seus forretas! Lol

  13. Miguel A. Says:

    RIBa depois não te esqueças de dividir o resultado do mini-dicionário com a malta, sff… lol

  14. pp Says:

    Chefe, com calma tudo se normaliza.

  15. pp Says:

    ou seja paulatinamente… (palavrao para alguns)

  16. Miguel Says:

    Ora bem…lol

    Sobre a circulação rodoviária. Está em estudo uma análise aprofundada à situação por parte de várias equipas multidisciplinares. O que se está a equacionar neste momento é o que é mais caro para a economia nacional: se permitir a circulação de pesados durante o dia ou não. Quem perde mais?

    Forretas migas? Forretas? A minha empregada só trabalha 3 horas por dia o que dá um salário equivalente superior em 40% ao que a tua empresa paga! ahhahahahahahah

  17. maria Says:

    Kunforme xtou aki, estive! ganda palavrão lol

  18. engricky Says:

    FYI, apenas lhes chamo palavrões devido ao contexto em q são aplicadas. Vou-me tentar explicar:
    Não é comum na Tuga ver alguém a aplicar diversos termos eruditos e ao mesmo tempo não saber conjugar correctamente um verbo. Há algum tempo atrás explicaram-me o porquê d haver dificuldades com os singular e os plural (:P), mas cada vez mais me apercebo q para a grande maioria dos angolanos falar bem é aplicar termos elaborados nos textos independentemente d haver uma construção frásica minimamente perceptível.
    Apenas saliento isto pq quem fica a perder, como sempre, é o povo q não pode mandar os filhos para o estrangeiro e ouve as barbaridades q esta malta atira para o ar.
    Anteontem, por exemplo, ouvi um catedrático da área da nutrição a tentar demover o povo d consumir pão (trigo) pq Angola estava a ficar dependente duma importação e “concomitantemente” perigava a economia. Disse 3 vezes concomitantemente em aprox. 3 minutos. O resto da conversa… eram só asneiras.

  19. migas Says:

    Miguel, se a vida me correr mal, posso ser tua empregada? Posso? Lol Aqui a maninha também não trabalha as 44horas normais. E já me avisou que quando tiver assembleias do jeová, talvez não virá ao Sábado. Fazer como? Lol

    Ah, e concordo com a pp, acho que com calma e tempo, tudo vai melhorar. Roma e Pavia não se fizeram num dia, certo? :o)

    Quantos aos termos, para o tal dicionário, não sei se posso ajudar. Acho piada ao “desconseguir” e ao “parte-os-cornos” (as t-shirts de mangas cavas) mas não me parece que sejam os tais palavrões que procuras. Vou ficar atenta. Prometo!

  20. pp Says:

    fyi, nao ha’ muito o Chefe colocou um post sobre o discurso fantastico de um portugues. quanto as palavras “eruditas”, serao raros os que em portugal as utilizam (sera’ pelo povo? ou nao farao parte do vocabulario?).
    btw, muito gostam os portugueses de generalizar.

    hehehehe migas, mais que certo :)
    mas tambem gosto de ouvir os portugueses dizerem “destrocar” :)

  21. maria Says:

    Oh pp, fyi agora baralhaste-me lol é destroçar ( despedaçar, dispersarem-se os militares saindo da forma ) ou destrocar ( desfazer a troca ) )
    é q não tens cês com cedilha lololol :D
    pp, fiquei minimamente esclarecida :)

    Se não me engano foi o discurso do Louça ;)

  22. pp Says:

    lol maria, e’ da troca mesmo, nada de cedilhas :)

  23. engricky Says:

    :) Não Migas não me referia a essas, senão teria q fazer por fascículos.
    Ouvi uma muito fixe: Dois putos aí com 3 anitos a jogar com uma bola d borracha. De repente a bola é furada por um prego, pfffffffff. Um deles pega na bola: Eh… Desbolô!

Os comentários estão fechados.