Revelações

É verdade que as Reservas Internacionais Líquidas de Angola não param de aumentar de forma vertiginosa. Em Dezembro de 2005 eram $3.179.080.000. No fim do mês de Abril de 2008 atingiam já o valor astronómico de $13.369.730.000, garantindo assim entre 25 a 28 semanas de importações de bens e serviços, ie, muito acima das 12 semanas standard. O petróleo a revelar aqui o seu enorme peso na economia angolana já que é o principal responsável por tudo o que está a acontecer por cá nos últimos tempos. Se em 2007 o petróleo já representou 95,4% das exportações angolanas (96,8% se juntarmos produtos refinados e gás), aos actuais preços dá para se ter uma ideia de como será 2008…

Indo um pouco ao cerne da questão que me levou a escrever este post, confesso que fiquei algo espantado com os dados referentes ao PIB per capita de Angola. Suspeitava que tivesse melhorado significativamente mas não com a magnitude que constatei. Em 2007, o FMI considera Angola como o 88º país com o maior PIB per capita, ie, $3.757, à frente de países como Tailândia, Colômbia, Namíbia, Ucrânia, Síria e Paraguai, apenas para citar alguns. No continente, a sul do Sahara, ocupa a 7ª posição apenas sendo ultrapassado por outros produtores petrolíferos com menos população ou paíse com outro tipo de estrutura económica como é o caso da África do Sul, Maurícias, Seychelles ou Botswana.

Já só falta mesmo o desenvolvimento económico.

8 Respostas to “Revelações”

  1. engricky Says:

    Bela explanação. O Chefe no seu melhor!

  2. Mario Says:

    E sera que esse desenvolvimento vira depois das eleicoes de Setembro? :)

    Agora a serio, sera possivel conseguir desenvolvimento economico sustentavel sem uma evolucao profunda da mentalidade angolana. Quem vem primeiro nesta equacao?

    Por um lado, como podem as mentalidades evoluir quando se continua a sobreviver cada dia e se continua a viver no meio da corrupcao.

    Por outro lado, a economia so pode dar o salto que precisa quando se puder planear a medio longo prazo, quando a corrupcao nao destruir tudo.

    Nao me levem a mal, mas continuo ceptico que esta geracao de angolanos consiga dar o salto e libertar-se dos maus habitos.

  3. pp Says:

    o’ mario! por isso e’ que nao estas em pt, verdade? :D
    (lol lembrei-me de alguns antigos comentarios)

  4. Mario Says:

    Sim, o comentario anterior tambem se aplica a Portugal mas numa escala diferente, estamos a dar o salto desde 85, ja la vao 20 anos e ainda estamos a meio caminho.

    Angola parte bem pior que Portugal em 85, com vizinhos que tambem tem os seus problemas, e com uma democracia que deixa muito a desejar.

    A injeccao de cash gerado pelo petroleo ira resolver tudo? Nao me parece. Da mesma forma que a injeccao de dinheiro da UE so resolveu uma pequena parte.

  5. AntónioCostaAmaral ( Says:

    garantindo assim entre 25 a 28 semanas de importações de bens e serviços, ie, muito acima das 12 semanas standard

    pelo amor de Deus, lá porque as reservas podem ser medidas em semanas de importações, não quer dizer que para isso sirvam…

  6. miguel Says:

    E depois António? Alguém afirmou nesse sentido? Utilizou-se um exemplo que permite ilustrar de forma clara a dimensão das RIL em Angola. Aliás, o teu comentário é também ele elucidativo da ignorância do que foi o passado recente de Angola. Quanto às RIL e para o que servem, estás perfeitamente à vontade para esclarecer quem aqui vem com os teus doutos conhecimentos.

  7. engricky Says:

    hehe Eu curto estas respostas do Chefe. Então quando vêm com bué d Cc’s… até estalam :D

  8. pp Says:

    lol (valente gargalhada) Chefe neste caso a ignorancia deixou de ser virtude, gosto destes paraquedistas. :D

Os comentários estão fechados.