Archive for Outubro, 2008

Privatização original

13 Outubro 2008

Após regressar ao escritório com o saldo, factura e o troco, eis que me pergunta:

– Chefe, posso privatizar 50 kwanzas?

Ao fim de muitos dias em que só se ouve falar em nacionalizações, há privatizações que são bem-vindas!

Em riste

13 Outubro 2008

Sinceramente, é natural que muitos dos expatriados se envolvam em relações locais. É humano. É premente. É a lei da vida. Mas, por favor, tenham lá uma atitude crítica qb e digam lá às damas que não fica esteticamente bonito ver uma mão agarrada a um copo e o mindinho a apontar para o céu…

Refundar o sistema financeiro mundial

13 Outubro 2008

Em linha com este post da catarina, as declarações mais recentes do presidente francês, Nicolas Sarkozy, são particularmente interessantes:

“Puis nous irons convaincre nos amis américains de la nécessite d’un sommet international pour refonder le système financier international.”

Nicolas Sarkozy em Le Figaro (ed. online 12.10.2008 22:35)

Da força relativa do dólar

12 Outubro 2008

Tem causado alguma estranheza a força relativa do dólar americano nas últimas semanas, em particular com o agudizar da crise e soluções apresentadas até ao momento. Especulei com uns amigos sobre as razões que estariam por detrás deste movimento – o qual entendo ser de curto prazo e que a fraqueza relativa da moeda norte-americana deverá continuar o seu percurso nos próximos meses – e acabei por ler na edição deste fim-de-semana do Wall Street Journal precisamente isto:

“U.S. investors are bringing money home while some foreign investors are seeking U.S. Treasury bonds as a haven in the turmoil, both positives for the dollar. […]”

Oooooooopssss!

11 Outubro 2008

Caixa Geral de Depósitos (CGD) empresta 200 milhões de euros ao Banco Português de Negócios (BPN)
in Diário de Notícias 11.10.2008

Segundo noticia o diário, este empréstimo foi necessário para “resolver uma situação emergente de falta de liquidez”…

Revolução em marcha

10 Outubro 2008

É o que está a acontecer por cá. Há alguns meses que não ia a Viana pela estrada de Catete e confesso que fiquei boquiaberto. Praticamente concluída, a auto-estrada tem 4 faixas em cada sentido. A diferença para há pouco tempo atrás é inacreditável. Simplesmente inacreditável. E o passeio que está praticamente concluído entre o largo do 1º de Maio e o comando? Logo que tenha oportunidade, colocarei aqui algumas imagens do que está a ser feito porque só visto. É de aplaudir e esperar que muito mais venha a ser feito por estas paragens.

Et voilá!

9 Outubro 2008

Carla Bruni-Sarkozy à espera do papa (foto de Benoit Tessier/Reuters)

Medo

9 Outubro 2008

Muito medo anda por aí. Pudera, se já nem se pode confiar no vizinho do lado…

Hoje, foi mais um dia do mesmo, com a crise a ganhar uma dimensão cada vez maior e os mercados a derreterem, literalmente. Ninguém diria que o rumo dos acontecimentos pudesse ganhar contornos como aqueles a que se assiste actualmente. Muito se escreverá sobre a grande crise que abalou o mundo durante as duas primeiras décadas do segundo milénio, com epicentro nos EUA e origem no subprime.

O que me leva a escrever tanto sobre isto é que estão a ocorrer factos que são verdadeiramente históricos e raramente vistos ao longo de uma vida. E nós bem no meio dela.

Alguns episódios engraçados vão ocorrendo aqui e acolá. Hoje, por cá, a rádio falou muito sobre esta crise e o seu impacto em Angola. De tal forma foi que a primeira pergunta que me fizeram, no sítio do costume onde vou regularmente há longos meses, foi “e o que é que acha desta crise?”. Explicar o quê?

Há dois dias, encontrei acidentalmente um velho conhecido daqui, lá do norte. Estávamos a trocar impressões e veio à baila a crise. Perguntei-lhe se tinha acções ao que me respondeu afirmativamente. Perante a minha reacção facial, disse-me que não havia problema. Que agora era de se comprar e que o que tinha ia guardar porque não precisava do dinheiro e aquilo haveria de subir. E depois ainda me disse que assinava uma newsletter da DECO e aquilo era porreiro etc e tal. “Bom”, respondi-lhe, “eu, na realidade, tenho 90% do meu a render a taxa fixa!” ao que me disse de imediato “Sortudo!”.

Não resisto a comentar aqui o que se passa em várias frentes, regressando ao título deste post. O medo. Ora o medo, por mais incrível que pareça, tem medição. Curioso não é? Claro que é uma extrapolação abusiva mas interessante. Os mercados norte-americanos desenvolveram há já algumas décadas um índice de volatilidade calculado a partir de um dos índices mais populares, o S&P 500 (as 500 maiores empresas americanas cotadas), designado por VIX (volatility index). Este índice é também designado por índice do medo. Quanto mais alto está, maior a instabilidade e “medo” e/ou “pânico” no mercado. Quanto mais alta a sua leitura, maiores as probabilidades de tempestade. Ora, nos últimos dias, o VIX não tem parado de bater recordes sucessivos acompanhando, inversamente, a queda dos mercados.

Outra consequência do apertar do crédito (e a recessão que já está aí) é termos empresas como a General Motors com uma cotação ao nível de 1958 (em termos nominais…).

Mas o aspecto mais relevante de tudo o que está a acontecer é somente isto: confiança (ou a sua ausência). E tudo o que tem sido feito, de certa forma atabalhoadamente, está a agudizar ainda mais o cenário. Não deixa de ser interessante que mesmo com a descida das taxas de juro, as taxas interbancárias não tenham cedido (para já) e que os bancos comerciais prefiram depositar nos bancos centrais a sua liquidez a uma taxa bastante mais reduzida do que emprestar entre si. Não sei se isto alguma vez aconteceu…

No plano cambial, há alguma “confusão”. Na Islândia, o governo já desistiu de tentar aguentar a moeda e está a desvalorizar de forma assustadora. Se a 31.12.2007, o PIB per capita Islandês era de €48.700, à cotação de hoje seria de apenas €14.700… Uma tragédia…  Também no Brasil, o banco central tem realizado várias intervenções de grande envergadura para “segurar” o real que tem sofrido alguma pressão desde meados de Setembro e uma forte aceleração nos últimos dias forçando estas intervenções.

E, para já, é isto. Amanhã é outro dia! A ideia principal é: está mais barato ir passar férias ao Brasil e pensar numa cabana qualquer em Reykjavik…

Deste lado, dormimos descansados porque toda a nossa liquidez está em kwanzas, aplicado a taxa fixa e que se revelou quer a decisão mais acertada quer a mais apropriada nos tempos que correm, enquanto o preço do barril de petróleo não baixar mais do que foi orçamentado (este é apenas o meu palpite…).

2000 posts

9 Outubro 2008

Como é que é possível (escrever tanta porcaria)? Do mal o menos, antes cá para fora do que lá para dentro… E é assim que este blogue já atingiu os dois mil posts, desde o seu início em 2004.

Ao longo deste período de tempo, têm sido interessantes alguns elementos referentes a quem, do outro lado, aqui vem parar. O que os trouxe e o que viram. Algumas curiosidades:

1. Top 10 dos posts mais vistos

[foto] A nova, velha cidade
Luanda, cidade mais cara do mundo
[foto] Lua cheia em noite escura…
Acabou
Rotura do menisco
Tchilar
Alambamento
Portugal SA
Pedido de patrocínio
Stiviandra O.

2. Proveniência

sd.weblog.com.pt
lifegoesonaguardandooregressodochefe.blogspot.com
re21.wordpress.com
osfieisaochefe.wordpress.com
100nada.blogspot.com
kianda.wordpress.com
casadeluanda.blogspot.com
psantos44.blogspot.com
psantos4.blogspot.com
quelimane-zambezia.blogspot.com

3. Termos de procura nos motores de busca

g
sdblog
angola
peitinhos
alambamento
mulatas
o alambamento
tchilar
incesto
luanda

Surpresas

8 Outubro 2008

Relativamente à constatação sobre a importância do papel do Estado na economia etc e tal na sequência da presente crise. Pensei que a descoberta do acréscimo do preço da sardinha em 1000%, do pescador ao supermercado, durante a última crise dos combustíveis, tivesse sido suficiente…

Há dias assim

8 Outubro 2008

Cabul, Afeganistão, 07.10.2008 (foto de Omar Sobhani, Reuters)

…ão!

8 Outubro 2008

Entre cá e lá, num excelente passanço pelas brasas no sofá, fui ouvindo a “conversa” entre o Alfredo Barroso e a Maria José. É engraçado como 16 anos depois ouvi o que então era tema de discussão entre nós, jovens que entrariam muito em breve no mundo a sério. Discutíamos acesamente se seria a economia um instrumento da política ou precisamente o contrário… Logo depois, a “constatação” que os políticos hoje nada mais são do que gestores políticos na sequência do reconhecimento, por arrasto, do Kosovo. Por um lado, a constatação não me surpreende sobremaneira já que a adesão à CEE teve (tem) as suas consequências em termos de soberania nacional. Por outro, é cada vez mais óbvio que a criação deixou, há muito, de obedecer ao criador.

Partido

8 Outubro 2008

Já está confirmado que não é malária. Uma coisa é certa, nunca mais ponho os pés na Portugália depois da noite que passei…

Visto de França

8 Outubro 2008

Fonte: Plantu

“Deve ser grave! Há já três dias que não falam da Carla Bruni!”

Bancos centrais descem taxas de juro

8 Outubro 2008

Numa acção coordenada e concertada entre diversos bancos centrais de várias regiões do planeta, as autoridades monetárias anunciaram, ao fim da manhã de hoje, a descida das taxas de juro de referência, com o objectivo de tentar evitar a degradação da crise actual. Os principais bancos centrais reduziram as taxas directoras em 50 pb (pontos base), ou seja 0,50%, passando a vigorar as seguintes taxas:

Banco Central Europeu (BCE) 3,75%
Banco de Inglaterra 4,50%
Reserva Federal Americana (FED) 1,75%

Participaram ainda os bancos centrais da Suiça, Suécia e Canadá.

A ver se se consegue evitar o colapso…

A primeiro reacção ao anúncio chega-nos dos mercados os quais reagiram em forte alta depois de terem feito novos mínimos, com quedas dos índices entre os 5 e os 10%. A história escreve-se por estes dias sendo hoje mais um episódio desta crise. A médio-longo prazo, vamos ver qual o comportamento da inflacção.

À sombra de uma azinheira…

7 Outubro 2008

Segundo os nossos governantes, o sistema bancário nacional é robusto e tem saúde para dar e vender. O mesmo se passa com a economia nacional que deverá “seguir o crescimento médio da área euro, especialmente em 2009”.

Felizmente as [realmente] boas notícias chegam-nos de fora. A União Europeia chegou a consenso sobre a elevação da garantia mínima dos depositantes de €20.000 para €50.000 euros, deixando a porta aberta para que qualquer Estado-membro possa garantir um mínimo de €100.000 euros ou mais. Depois de tantas bocas, estou curioso para saber o que fará Portugal. É que, do lado de lá da fronteira, o governo espanhol já aprovou a criação de um fundo de €30.000 MEUR (incrível) para comprar activos ao sector financeiro e a garantia mínima a cada depositante de €100.000 euros, ie, o dobro do aprovado na União Europeia.

A última boa notícia é que o cenário actual é de tal forma que se prevê o corte das taxas de juro…

Islândia: serða!

7 Outubro 2008

Bem que podíamos lucrar com a crise deles e pescar mais bacalhau!

A crise sistémica por que passa actualmente a Islândia é violenta e grave. De tal forma assim é que, em vez do FMI, este país acabou por pedir ajuda à… Rússia! Perante a ameça de colapso iminente do país, acabou, em último recurso, por negociar com a Rússia um empréstimo de €4.000 milhões de euros. Para este último país, esta intervenção não poderia vir em melhor hora numa perspectiva mais lata de âmbito geoestratégico. Imagino que um pouco mais para oeste, não tenham ficado particularmente agradados com esta iniciativa. De tal forma assim é que não podia deixar de rir-me que nem um perdido com o início de um artigo sobre o assunto publicado no The Wall Street Journal e que aqui transcrevo:

“How do you know your country’s finances are in trouble? When you’re looking to Russia for a loan.”
David Gaffen, Marketbeat, The Wall Street Journal

Verde

6 Outubro 2008

O governo da República Democrática do Congo anunciou hoje que pretende cancelar 2/3 das licenças de corte de madeira, ao abrigo de um programa governamental, apoiado pelo Banco Mundial, no sentido de proteger a segunda maior floresta tropical, a seguir à Amazónia. A ideia, para além de combater a corrupção e proteger o ambiente, consiste em reduzir a área florestal destinada a exploração comercial de 22 milhões de hectares para “apenas” 7. De facto, seria uma lástima perder o imenso mar de verde que observei durante horas no vôo de Cabinda a Kigali.

Este assunto é-me caro. Enquanto vivi em Moçambique, testemunhei o massacre de parte da floresta. A corrida desenfreada de alguns ao que tinha sido preservado durante a guerra pela inacessibilidade dos locais mais recônditos da floresta moçambicana. O pau-preto de Cabo Delgado, as árvores de tronco grosso de Mueda, a umbila, chanfuta, panga-panga e tantas outras da Alta Zambézia. E os chineses que levavam tudo o que lhes aparecesse à frente, tivesse crescido ou não, estivesse dentro dos limites ou não.

Jamais esquecerei a seiva vermelha que saía da casca da umbila cortada, tal e qual como se de sangue se tratasse. Impressionante. E os restos mortais das árvores que ficavam abandonados na floresta?

Apostas best(iais)!

6 Outubro 2008

“Banco Best’s customers will be awarded interest on their 60-day deposits on the basis of whether they bet correctly on the winner of the Nov. 4 U.S. election between Sen. Barack Obama and Sen. John McCain, the bank said in a statement.

If they pick the winner, they will be rewarded with interest of 8 percent, applied retroactively from Nov. 4 to the day they opened the account. If their bet is wrong, they will get just 2 percent interest.”

Fonte: Reuters

O meu pequeno comentário a esta originalidade é uma valente gargalhada. Mais a sério, sem dúvida que esta ideia tem o mérito de colocar tudo e todos a falar do Banco Best.

Neves e Sousa, Pintor de Angola

6 Outubro 2008

Sendo a pintura uma das artes que me seduz profundamente, não poderia deixar de registar aqui a minha grande satisfação por saber que será publicado brevemente o livro, cuja capa ilustra este post, sobre a obra de Neves e Sousa.

Nota sobre o livro “Neves e Sousa, Pintor de Angola”

(more…)

Round 2

5 Outubro 2008

Umas rápidas…

O forex abriu com o cross eurodólar em gapdown, ie, o euro está debaixo de forte pressão em resultado de, por um lado, ter sido aprovado do outro lado do Atlântico o pacote de ajuda e de, por outro lado, ter falhado o plano de se salvar o banco alemão Hypo Real Estate. Apesar do governo alemão ter assegurado €26.500 MEUR dos €36.000 necessários, os bancos comerciais que financiariam o resto retiraram a oferta depois de ter sido publicado um relatório do Deutsche Bank que adiantava precisar o banco em apuros de qualquer coisa como €50.000 MEUR até ao fim do ano e de €70.000 a €100.000 MEUR até finais de 2009. Para se ter um termo de comparação, o Produto Interno Bruto (PIB) de Portugal em 2007 foi de €162.919 MEUR…

O Estado do Massachussets pediu, durante o fim-de-semana, ajuda federal de emergência para fazer face a despesas correntes.

Há instantes, 1 Euro valia 1,3650 Dólares. (Link para gráfico em tempo real)

PS-Acabou de ser noticiado que o governo alemão vai injectar €50.000 milhões porque o banco é “grande demais para falhar”. Claramente, nada será como dantes!

Fim-de-semana

4 Outubro 2008

Mais tranquilo. O tempo está bom e há que aproveitar o que a natureza nos proporciona, enriquecida pela diversidade das gentes. Isto claro, independentemente de ter sido aprovado ontem, finalmente e à segunda tentativa, o “miraculoso” pacote de ajuda à banca de $700.000 milhões de dólares. Já para não falar da possível intervenção do FMI para salvar a Islândia (quem diria?).

Uma nota ainda para a Califórnia. Foi noticiado, durante a noite, que as finanças daquele estado norte-americano estão nas últimas devido a uma forte quebra na cobrança de impostos. De tal forma está a ser que deverão solicitar ao governo federal empréstimos de emergência para pagar salários de professores, polícias, bombeiros e outros funcionários públicos, caso não consigam ter sucesso na colocação de um empréstimo obrigacionista de $7.000 milhões de dólares.

Nos tempos que correm, aplica-se, e de que maneira, o cartoon que deixo neste post.

Face of Africa 2008

4 Outubro 2008

Kaone Kairo (imagem daqui)

Angola é o último dos 12 países africanos que participam no concurso Face of Africa. Destinado a encontrar modelos que possam singrar na indústria da moda, decorrerá no próximo dia 11 de Outubro de 2008, pelas 10:00, no Hotel Alvalade, Sala Diamante, em Luanda.

A vencedora do concurso, que será escolhida na final em Sun City, África do Sul, a 29 de Novembro de 2008, terá direito a um prémio de USD 50.000,00 e um contrato internacional de modelo.

(gostava de ser júri…)

Está um calor!…

3 Outubro 2008

Finalmente a temperatura passou a ter valores mais aceitáveis. Perto das 15:30 estavam 35,6ºC. O frio já partiu para outras paragens :)

Exposição fotográfica

3 Outubro 2008

De 3 a 10 de Outubro de 2008, no Museu Nacional de História Natural, em Luanda (atrás do antigo Mercado do Kinaxixi e em frente à Universidade Católica), estará em exposição uma parte do trabalho de Naíta Ussene. Natural de Angoche, Província de Nampula, Moçambique, a exposição de 50 fotografias de Naíta retratam o quotidiano do país em tempo de paz. Claro que irei à exposição por três motivos: Moçambique tem excelentes fotógrafos, como por exemplo Ricardo Rangel (genial), aprecio o fotojornalismo e aproveitarei para rever realidades que também foram as minhas já que por ali vivi, por vários anos, em tempo de paz. A não perder.

Fusões

3 Outubro 2008

Noticiou ontem o Jornal de Negócios, aqui. Nós também não vemos esta possível fusão com maus olhos, em determinadas condições. De igual modo, fala-se de uma “aliança” entre a Galp, Sonangol e Petrobrás. Porque não?

Pensamento do dia

2 Outubro 2008

$10 quê?

2 Outubro 2008

No passado dia 30 de Setembro de 2008, a dívida pública norte-americana ultrapassou, pela primeira vez na história, dez biliões de dólares ($10.000.000.000.000), ie, 69% do PIB, valor mais alto dos últimos 53 anos. Quando Bush chegou ao poder, este valor era de $5,7 biliões de dólares. Para além de ter aumentado 75% no período, este era o valor que se pensava atingir no fim de 2009.

Para quem ganha em dólares, este não seráo propriamente o melhor cenário… Independentemente de, durante o dia de hoje, o cross ter cotado no valor mais baixo dos últimos 13 meses nos $1,3744|€1,000.

Lá vamos nós outra vez

2 Outubro 2008

E eu que pensava já ter visto muito, afinal vale tudo nesta vida. Mesmo assim, ainda fico completamente espantado com a facilidade com que as pessoas, sobretudo aquelas com responsabilidades, conseguem mentir com a maior das facilidades. Quando é com os outros, um gajo é naquela. Quando nos toca a nós, é um bocado mais chato…

Começo a acreditar que só mesmo o filet mignon da rosqueirice nacional é que está a demandar estas paragens… talvez na ânsia de não serem conhecidos por aqui. Uns vão para Londres, outros para Luanda. Faz parte da vida.

Os sinais eram bem evidentes, em toda a linha. De plástico. Farsolas. Já não lhes chega as plásticas ao corpo, também já as fazem, e de monta, diga-se, ao carácter. O contorcionismo não constitui, para esses farsantes de gente, qualquer óbice assinalável, pois há muito que se libertaram da coluna vertebral. Que gentalha! De sorriso fácil e altamente social mas que, uma vez bem espremida, nada mais é do que excelente matéria-prima para a produção de biogás…

Vai uma máscara?

Recessão

1 Outubro 2008

(Não, não tem nada a ver com economia.)

Esta manhã, no banco, à semelhança do que acontecerá com a grande maioria das pessoas que aguardam a sua vez de serem atendidas, fui ouvindo aqui e acolá palavras soltas até que uma chamou-me a atenção. Recessão. Fiz um rewind da minha memória ram, tipo vídeo vigilância, juntei as palavras todas dando-lhes a respectiva dona para chegar à conclusão que a senhora do banco estava com alguns problemas porque tinha dado a “recessão” de 4 cartas mas só tinha 3 em sua posse…

Isto não tem interesse nenhum, é certo. Mas quando se busca a perfeição, no arranjo, nas sobrancelhas rapadas substituídas por lápis (verdadeiro crime que assola as mulatas angolanas, sedentes de estarem na berra da moda), no cuidado com que se diz cada palavra [quase] sem sotaque, a certeza das ordens dadas aos colegas circundantes e as explicações que se dava aos clientes, uma escorregadela destas é tramada.