Archive for the ‘Dados médicos’ Category

Gripe

19 Dezembro 2007

É bom voltar a Portugal nesta altura do ano. Tirando o frio, o vento, a chuva e o raio da gripe! Agravada com a ida ao outro lado do Atlântico. Ora, uns dias sem sair de casa, Cêgripe, xarope de cenoura, vitaminas e sempre quente natural ou artificialmente, lol, restabelecem por completo uma pessoa. Já não me lembro bem mas acho que já não apanhava uma destas há uns bons 5 anos.

Miguel

Tetavax

8 Julho 2007

a 07.07.07

A segunda

12 Janeiro 2007

Opinião. Dizia-me ontem, o Dr. Julius Preddy, que possivelmente algum inchaço poderia ser consequência de elevado ácido úrico. Fiquei perplexo porque nunca tive qualquer problema dessa natureza. Sugeriu-me, e fiz, análises ao sangue de modo a descartar essa possibilidade. Como já esperava, não tem nada a ver (0,28 para 0,26-0,45). Disse-me então que podia continuar a comer os queijinhos, biltong, laranjas, vinho tinto e sexo, muito sexo. Ufffffff, não foi desta!!!

Check-up

9 Janeiro 2007

Ida ontem ao médico com a confirmação que está tudo em ordem. De tal forma que receitou-me 90 comprimidos de Voltaren GT50 (1/8) e uma brace (não sei a palavra em português) para o joelho. De resto, que posso regressar à minha vida normal porque está satisfeitíssimo com o meu joelho. Questionado sobre se a inflamação não teria nada a ver com pressão atmosférica e humidade, disse-me que era possível porque também tinha tido esse tipo de queixas por parte de pessoal que tinha vindo de Kinshasa. Pelo sim pelo não, mais uns dias em Joanesburgo a esforçar o joelho para ver como reage e uma segunda opinião. Hoje foram 4km a andar normalmente, descalço, pelos passeios relvados da área residencial onde estamos. Na boa.

Falso alarme

22 Dezembro 2006

Bom, afinal trata-se de uma inflamação da membrana sinovial. A operação ao menisco foi perfeita, já que todas as acções induzidas ao joelho esta tarde revelaram-se negativas no que à dor diz respeito. Para melhorar isto, mais ginástica com alguma calma, andar a pé com calma, fazer tudo com calma – até é capaz de não ser assim tão mau quanto isso, dependendo das situações. Para ajudar toma lá com Tilcotil 20mg (10, 1 por dia).

Isto está mau

20 Dezembro 2006

Mau, mau, mau. Não sei se não terei que regressar à África do Sul…

On my way home…

11 Dezembro 2006

Tornando-se cada vez mais difícil a minha permanência na África do Sul, por questões profissionais, surge agora uma enorme contrariedade: os vôos estão todos cheios até ao fim do mês de Dezembro. Boa. Entretanto, a fisioterapeuta não deixa de manifestar surpresa perante a evolução do joelho. Tenho andado a exagerar um bocado, como forma de garantir que, perante a eminência da minha partida, testo tudo enquanto tenho um bom médico, fisioterapeuta e meios de diagnóstico como deve de ser à mão. Foi assim que ontem desci a uma gruta a 40 metros de profundidade com uma escadaria interminável, andei pelo parque dos leões e tenho andado aqui e acolá. A forçar dentro de limites comportáveis. Assim sendo, parece que dentro de umas 6 semanas já poderei regressar à pista! Tanto melhor porque já me convidaram para participar na próxima corrida de 94,6Km que se disputa anualmente por estas bandas!

Já ando :D

7 Dezembro 2006

Depois de alguns exercícios mais arrojados ontem com a fisioterapeuta, hoje senti-me de tal forma bem que comecei a andar. Nadei bastante – o sol está tão abrasador por estas paragens, 32ºC – e andei dentro da piscina a ver se isto recupera rapidamente. Nunca imaginei é que pudesse voltar a andar tão cedo, 13 dias após a operação.

Pré

5 Dezembro 2006

f00327112006-jnb.jpg

Dia em cheio

5 Dezembro 2006

Com a remoção dos pontos e a confirmação por parte do médico da excelente recuperação do joelho. Aproveitei para fazer uma grande fita com as enfermeiras, a propósito dos 2 pontos, mas fui rapidamente desmascarado – há sempre alguém a dizer que somos uns grandes fiteiros bah! O regresso está já para breve (mais uns 10 dias por cá). A introdução de pesos com a fisioterapeuta começa já amanhã. Yebo!!!

Done!

26 Novembro 2006

Apareceu um tipo grande todo coberto a minha procura no quarto. Mau pressagio, afinal era mesmo para me levar para o theatre. Descemos para a cave e encostaram-me a parede ladeado por mais pacientes em stand-by para a sua vez. O anestestista espectacular. Todo sorridente, trocamos algumas impressoes e tive que lhe fazer a pergunta: “Comue? Local?….” Foi com grande alivio que ele me disse ser geral. Prefiro, mil vezes. Como e que eu iria suportar ver o cirurgiao pegar no martelo e no escopro, desatar a martelar no joelho, pegar na serra e afins? So se me vendassem os olhos e me dessem um MP3 que tivesse uma potencia de som que me pusesse quase surdo. Disse-me ele que a operacao e de tal forma dolorosa que nao suportaria as dores, ate porque poderia dar-me a epidural mas que nao aconselhava porque so se conhecem os casos de sucesso, os outros nao sao muito revelados. E como nao estava gravido…

Ja no bloco, o medico acolheu-me todo sorridente. Um afrikaner espectacular. Ja dentro dos 40 e picos, alto, loiro, grande e um ar extremamente simpatico e cool. Mostrou-me no monitor o que se passava com o joelho, mas como estava sem oculos foi a mesma coisa que nada… Mas informou-me que o menisco tinha ido para o meio do joelho, atras da rotula, abaixo do femur e acima da tibia e do peronio – acho que acertei na componente anatomica – pelo que tentaria recoloca-lo no sitio. Mostrou-me de seguida como e que faria a intervencao com todo o material high-tech e que ate ia gravar tudo em DVD para me dar. Uau! Vou poder ver do que e sou feito e a estupidez que fiz ao joelho.

Ja deitado, o anestesista e a ajudante a procura de veias na mao esquerda e eu a pedir-lhes para irem para a direita que tinha mais veias mas nao, tinha que ser aquela.

– Now this is gonna be the worst part of this all. This might hurt a little bit. – disse-me o anestesista enquanto tentava enfiar a agulha na mao.

– Don’t worry. Just go ahead as I like to think of myself as a tough guy. – disse-lhe eu cheio de coragem inexistente provocando o sorriso da equipa do bloco.

Nao me lembro de mais nada. Apenas de acordar meio grogue e, como sempre, sentar-me de imediato na maca e querer ir embora, lol. Afinal, a operacao que deveria ter demorado 40 minutos demorou 2 horas e meia tendo o cirurgiao conseguido recolocar o menisco no sitio e restaura-lo aplicando-lhe 2 pontos. Ufa.

Apesar de tudo, muita sorte. As aventuras no quarto foram demais com uma presenca excentrica de um joquei com grandes crencas tradicionais e do que la se passou durante a noite.

No Suninghill Hospital

24 Novembro 2006

Cheguei a pensar escrever algo do genero “Aventuras e desventuras de um handicapado temporario”, mas pareceu-me longo demais. Porreiro o hospital, parecido com um hotel. Tem todo um conjunto de “facilidades” que tornam o espaco agradavel. Tal como poder escrever este post. Bom, na realidade, fui de tal forma insistente que acabaram por me deixar ter acesso ao PC do administrativo do meu andar ;)

Ontem fui visto pelo Dr. H. Volkersz, cirurgiao ortopedico. Antes de ser recebido, fiquei algo arrepiado com o que estava exposto na sala de espera. Havia uma mesa de centro com um tampo de vidro que permitia observar todo um conjunto de instrumentos, proteses, placas metalicas e parafusos (entschuldigung Herr Doktor?!). Ao meu lado esquerdo, um armario que, para alem de uma replica do triplano do Barao Vermelho (bonita, por acaso) tinha um conjunto ainda maior de instrumentos. Confesso que quando fui recebido ainda lhe disse que ja estava quase curado, ate ja conseguia estar de pe e andar. E que com umas massagens e alguma fisioterapia estaria em condicoes de, em pouco tempo, poder competir com o Obikwelu. Sorriu e baixou os olhos para me informar que a cirurgia teria lugar hoje! Blaaaaa :(

Fixe foi a ressonancia electromagnetica. De olhos fechados ate parece que estamos a realizar uma viagem no espaco, a velocidades estonteantes, projectados por forcas gravitacionais e apanhando boleias em quaisquer tuneis do espaco-tempo, dai aqueles barulhos formidaveis. Acabada a viagem o diagnostico: montes de fluidos e menisco torcido (ufa! afinal esta so torcido. Eu bem disse que nao era nada e que estaria quase bom. Ja nem sequer tinha dores!).

Parece que persistem na intervencao. Disseram-me ha instantes que e melhor ja do que ficar com um problema para o futuro. Ok. Nao ha crise. Ja me puseram 3 pulseiras no pulso. A branca e a amarela ainda percebo, a cor-de-rosa e que nao estou a ver bem porque…

E chega de treta. Esta marcada para mais logo. Ultimos dados, das 5:30 de 24.11.2006: tensao arterial 122/82, pulsacao 55, O2 no sangue (esta e nova!) 98%.

Artroscopia

14 Novembro 2006

Parece ser agora o destino mais certo da lesão, provavelmente na África do Sul. Coisa rápida e com anestesia local para retirar o menisco lesionado. Recapitulando:

1. Lesão às 19:10 após 55 minutos de exercício (alongamentos, aquecimento, corrida, bicicleta, abdominais);

2. Consulta perto das 23:00 com ortopedista e um pré-diagnóstico a apontar para a rotura do menisco. Necessidade de avaliar a evolução da situação na 5ª feira. Entretanto Brufen 400mg 8/8 e Clonix 300mg 8/8 desde a meia-noite de 13 (para 14);

3. (às 19:40) Tensão arterial 117/76, pulsação 69.