Archive for the ‘De dentro’ Category

Raramente falo de futebol

11 Março 2009

Desde que me conheço, sou do Sporting. Não daqueles ferrenhos. Não dos de cartão ou lugar cativo. Mas “amo” o meu clube. Gosto do leão. Gosto do equipamento. Da mística, o que quer que isso queira dizer. Mas, sobretudo, porque o meu melhor amigo de infância, quatro anos mais velho do que eu, o Mário, era do Sporting! Bom, o meu pai também é. E a minha mãe, claro! E os meus primos quase todos, menos os que nasceram tortos e gostam do Benfica e um ou outro do Porto. Adiante. Após esta humilhação ultrajante a que nos submeteram, o que é que o Paulo Bento ainda está a fazer no Sporting?!

23 anos depois

9 Março 2009

No sábado, calhou ir à Papelaria Fernandes logo de manhã para comprar um cartucho para a impressora. Aproveito este tipo de situações para apanhar ar, mais do que tudo. Para grande azar meu, não havia. Na conversa com o empregado, reparei noutro cliente que se tinha aproximado do local e algo nele parecia-me familiar. Olhei mais um pouco e a sua postura tirou-me quaisquer dúvidas. Aproximei-me e perguntei-lhe “Rodrigo?”. E não é que era mesmo?! Nada mais nada menos do que o meu colega do 9º ano, o do fim-de-semana na Arruda dos Vinhos a jogar snooker nos intervalos dos estudos! Xé! Já não o via há 23 anos! Confesso que por vezes parece-me que sou a versão humana das máquinas de leitura biométrica…

Chegou a Angola há 1 mês. Boa sorte companheiro!

Ya meu!

1 Fevereiro 2009

No fim da tarde de sexta-feira, entrou pelo meu gabinete dentro e pediu-me um apoio financeiro para o taxi porque estava mesmo, mas mesmo muito, muito mal. Virei-me para o mais velho e disse-lhe “Caramba! Isso está mesmo mal!” ao que me respondeu com um inusitado “Ya meu!”, olhando para baixo. Não aguentei. Repeti o que me dissera, trocando a exclamação pela interrogação, enquanto me ria que nem um perdido. Desfez-se em desculpas, à chefia, ao director, à excelência, perante a minha galhofa. A espontaneidade é quantas vezes tão surpreendente quanto desconcertante. Estamos juntos M.

2009

31 Dezembro 2008

A todos, em especial aos meus, um grande 2009! Mais do que especialmente próspero que seja um ano de realizações, saúde e plenitude existencial (o fim do mundo não está, de modo algum, ao virar da esquina)!

Um forte abraço e beijinhos a todos.

Miguel

Quartzo Blog

26 Novembro 2008

Claro que não poderia deixar de registar neste blogue a passagem à blogosfera do meu mui querido amigo do peito de há quase 20 anos (já viste pá? 20 anos? lol). Como somos amigos sou suspeito, mas é com toda a certeza que o teu será um excelente blogue. Vai daqui um abraço e beijos à família toda :p

Sem mais, Quartzo!

Natal

25 Outubro 2008

Bem sei que ainda faltam umas semanitas para o Natal. Mas como sei que é muito difícil escolherem uma prenda para um tipo complicado como eu, deixo aqui já a sugestão… (aposto que este post não vai ter nenhum comentário lol!).

Óculos & Donuts

31 Agosto 2008

Só tu mesmo. Obrigado pai!

Ginja

31 Agosto 2008

À Maria, o meu muito obrigado pelo presente de anos. Vai muito atrasado este agradecimento mas nem imaginas as peripécias que o presente teve… :p

Namibe

6 Abril 2008

É, para mim, logo seguida da Huíla, a melhor província de Angola, das que conheço (Luanda, Bengo, Kwanza Norte, Kwanza Sul, Zaire, Cabinda, Namibe, Huíla, Moxico… ainda me faltam Uíge, Malange, Lunda Norte, Lunda Sul, Huambo, Benguela, Cunene, Kuando Kubango e Bié). O Namibe tem algo de especial… paisagens avassaladoras, diversidade cultural riquíssima, província que alberga um dos raros povos nómadas, gente muito interessante e simples, excelente peixe e marisco, bom clima e, claro, o chamamento de algo verdadeiramente extraordinário que é o deserto do Namibe. Aqui deixarei mais algumas imagens das centenas que tirei durante estes 3 dias na província.

Parabéns miúda!

2 Abril 2008

1_product_g_1775.jpg

E que tenhas um dia muito feliz, com muitos beijos :)))

Um abraço

19 Março 2008

Estaríamos agora juntos na Austrália mas não deu (uma vez mais!), por isso vai daqui este no dia do pai! (fica para quando dermos a volta ao mundo).

Miguel

Parabéns!

13 Novembro 2007

Embora cansadíssimo e cheio de sono, tentei a todo o custo manter-me acordado até à meia-noite. Olhei para o relógio e já estávamos a 13 de Novembro. Satisfeito da vida, peguei no telemóvel e liguei-lhe.

– Estou? Então estás bom?
– Estou e tu? Como é que estão as coisas por aí?
– Tudo bem. Olha… parabéns!!!
– Epa, obrigado… mas qual é a pressa?
– Pressa?
– Sim. Aqui ainda é dia 12… ahahahaha!

Bom, apesar do lapso (só poderia ser mesmo eu, não é?), espero que tenhas tido uma boa viagem e um grande dia de anos pai.

Miguel

Resumindo

6 Novembro 2007

Caramba! Já não ia a Portugal há mais de ano e meio. É obra, mesmo para um resistente como eu. Que de resistente já só tinha ficado o rótulo pois o “desespero” era mais do que muito, não só pela saudade, mas também pelo peso que representa viver nesta Luanda. Nesta Luanda… Bom, adiante que a este tema voltarei não daqui a muito tempo (ainda ontem só pensava para comigo: puta de cidade! puta de cidade!).

E que grandes férias foram. As maiores que tive nos últimos 5 anos. Exactamente 5 semanas. Fantásticas. De estar, ver a família. Conhecer gente nova e outra que já não se lembrava de mim e eu deles, em metamorfose permanente nos primeiros estágios da vida. De ouvir ao vivo as pessoas, as suas gargalhadas e lamúrias, as rugas do tempo insuficientes para apagar o fulgor de viver. São assim os meus. Os meus… Dos que partiram nestes anos de Angola sem que eu lá estivesse. Antes do derradeiro adeus, na versão realista e não romanceada. Isto que começa a pesar-me cada vez mais,  na alma. O gostar das pessoas e estar tão longe delas, com o tempo a passar por nós. Desta vez, foi o meu tio Zé. O dos carolos, apanhados que éramos na cozinha atrás da groselha gelada após o recolher obrigatório. Ele que acordava cedo para ir para o Porto e nós, putos, na boa porque então as férias de verão eram-no mesmo. O da voz grossa e ar militar que nunca perdera, tal como nas fotos de casamento, só lhe faltando a farda. O único da família que não era do norte. O meu tio Zé, a minha mana e eu, formávamos o trio alfacinha. Os mouros… Um abraço tio ;)

Há quanto tempo eu não tinha umas férias assim. O que andámos! Sempre acima e abaixo. Só aventuras… O que muito me ri e nos rimos que nem uns perdidos, ao longo do Mediterrâneo. Ou em Londres. Outro planeta, já muito distinto do Club Med. E, acima de tudo, termos estado juntos. Juntinhos.

Miguel

Acabou

26 Julho 2007

Muito obrigado a todos os que por aqui andaram e constribuíram de forma importante para que este espaço fosse algo mais do que um simples depósito de letras e imagens. Até um dia destes ;)

Miguel

f002-18052007cab.png

Irmãos Verdades, yo!

27 Maio 2007


Um dos melhores grupos de sempre, os Irmãos Verdades (aos anos que os oiço e fui dançando ao som deles nas longas noites moçambicanas…), neste estilo musical (tão adequado ao contexto) com a inconfundível Yara neste vídeo (para os recém-chegados a Angola, a Yara é…)

Madura

2 Abril 2007

É sempre mais doce :)

Muitooooooooos parabéns miúda!

Nas nuvens

21 Janeiro 2007

Ahhhhhhhh por lá ando há algum tempo. Contigo. Sem norte, nem sul, este ou oeste. Sem fome, nem sede. Sem sono. Não há frio nem calor, apenas há. Tu e eu. Nós. E voamos, saltamos, abraçamo-nos, beijamo-nos como se não houvesse amanhã, apenas o agora. Sem fim. Dizem que o céu é o limite, não é. Não há limite para algo assim. Só o infinito. Houve um princípio algures mas não olho para baixo. Mesmo não tendo vertigens, sou incapaz de desviar o olhar das miragens à minha frente. Deliciosas. Idílicas. Infinitas. Tu. É para onde vou.

:D

17 Janeiro 2007

:DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD

Dá-me lume

15 Janeiro 2007

Chegaste com três vinténs
E o ar de quem não tem
Muito mais a perder
O vinho não era bom
A banda não tinha tom
Mas tu fizeste a noite apetecer
Mandaste a minha solidão embora
Iluminaste o pavilhão da aurora
Com o teu passo inseguro
E o paraíso no teu olhar

Eu fiquei louco por ti
Logo rejuvenesci
Não podia falhar
Dispondo a meu favor
Da eloquência do amor
Ali mesmo à mão de semear
Mostrei-te a origem do bem e o reverso
Provei-te que o que conta no universo
É esse passo inseguro
E o paraíso no teu olhar

Dá-me lume, dá-me lume
Deixa o teu fogo envolver-me
Até a música acabar
Dá-me lume, não deixes o frio entrar
Faz os teus braços fechar-me as asas
Há tanto tempo a acenar

Eu tinha o espírito aberto
Às vezes andei perto
Da essência do amor
Porém no meio dos colchões
No meio dos trambolhões
A situação era cada vez pior
Tu despertaste em mim um ser mais leve
E eu sei que essencialmente isso se deve
A esse passo inseguro
E ao paraíso no teu olhar

Dá-me lume, dá-me lume
Deixa o teu fogo envolver-me
Até a música acabar
Dá-me lume, não deixes o frio entrar
Faz os teus braços fechar-me as asas
Há tanto tempo a acenar

Se eu fosse compositor
Compunha em teu louvor
Um hino triunfal
Se eu fosse crítico de arte
Havia de declarar-te
Obra-prima à escala mundial
Mas eu não passo dum homem vulgar
Que tem a sorte de saborear
Esse teu passo inseguro
E o paraíso no teu olhar
Esse teu passo inseguro
E o paraíso no teu olhar

Dás-me lume?

6 Janeiro 2007

Crazy

Comentário

18 Novembro 2006

Com direito a post. O primeiro comentário do meu pai nestes 2 anos de blogger. Uma honra. Ei-lo:

Tarolas Says:
Novembro 17th, 2006 at 2:58 am

Finalmente vim cá parar…Gostei muito dos parabéns, mas não me agradou andares a medir as “pilas” no ginásio… Aquela de Joanesburgo foi boa! Valeu a pena o investimento na máquina, porque o resultado compensa. Um abraço”

Um abração, claro!

Ídolos

13 Novembro 2006

O meu fez hoje 61. Sabes que sou parco em palavras, sobretudo com as pessoas de quem realmente gosto muito. Um abraço e parabéns, pai.