Archive for the ‘Desatinos’ Category

Atrasado

21 Abril 2009

O novo blog. Está a dar-me água pela barba e eu que não tenho tempo…

Escândalo

16 Abril 2009

Tão cedo não voto PS ou qualquer partido da esquerda não tradicional. Poderia eventualmente considerar o PCP mas com líderes de bancada como o Bernardino Soares, também acho que a caneta jamais tombará para aquelas paragens. Ao “centro” e direita, venha o diabo e escolha…

Uma vez mais, o partido no poder avança para uma medida populista cujos objectivos são claramente eleitoralistas e pouco eficazes no combate à fraude e evasão fiscais. Não interessa. O que interessa é lançar medidas “fantásticas”. Apesar de tudo, apesar dos 2 milhões de pobres que existirão em Portugal os quais mereceriam mais e melhor por parte deste Governo, atira-se, uma vez mais, areia para os olhos de todos. Dos que querem ver, dos que já não querem saber, dos que há muito cegaram…

Pergunto-me, se começarão por aplicar a Lei, quando e se for promulgada, à classe política e aos que têm financiado os partidos. Se os Tinos e Fátimas desse [cada vez menos] fantástico país serão de imediato taxados os tais 60% ou não terá efeitos retroativos? (hummmmmmm tenho que ler a legislação que pretendem aprovar).

Pergunto-me se, tal é a sede pela receita fiscal adicional para compensar a que se projectou mal e por isso já não entra nos cofres do Estado, a título de exemplo, o artista que tenha vigarizado outrém, será de imediato taxado os 60% e depois investigado a fundo para apurar qualquer ilícito criminal? Isto porque, segundo li, pretende-se, tão-só, agilizar processos. Fazê-lo “cair” mais depressa.

Pergunto-me, no seguimento da ideia anterior, como será ressarcido o vigarizado? Vai pedir reembolso ao Estado?! Ou pedirá uma indemnização ao Estado de todos nós?

Quando é que “eles” explicam, de uma vez por todas, para onde vai o nosso dinheiro?!

Obviamente que este extremar da prepotência que tem sido uma das notas dominantes deste Governo, leva-me a reflectir, cada vez mais, sobre a possível decisão de pegar nas bicuatas que ainda para aí tenho – e os trocos, claro – e demandar outras paragens! Isso ou a restauração da monarquia já! (ao ponto a que um gajo chega, até já se torna monárquico…)

Não queriam mais nada

5 Abril 2009

No seguimento do post anterior, realizei uma compra de domínio e espaço, num servidor americano, supostamente o top dos tops para blogs. Melhor dizendo, pensei ter feito uma compra quando, em vez de receber o username e password de acesso, recebi um e-mail a pedir-me para enviar por e-mail, por razões de segurança e para minha protecção, uma cópia do meu cartão de crédito, frente e verso, e da minha carta de condução para confirmar os dados. Mandei-os para o… bilhar grande!

WordPress

5 Abril 2009

Confesso-me cansado do wordpress pelo facto de ser demasiadamente rígido quanto ao design do blog. Limitando-se a algumas dezenas, muitas verdadeiramente pobres, de soluções, para quem quer um design mais consentâneo com a sua forma de estar ou gosto acaba por sair completamente frustrado. Claro que a maioria tem “razão” e o alvo do modelo do alojamento wordpress são todos os que não estão muito preocupados com isso, não estão para mexer muito em códigos e por aí fora.

Neste sentido, estou à procura de outra casa pois esta já não me serve.

Moeda ao ar…

25 Março 2009

É cada vez mais assim que olho para os bancos locais. Ora se tem sorte ora se tem muito azar. Mas, por cá, parece-me que a qualidade do serviço tem caído vertiginosamente. Hoje foi um daqueles dias de bradar aos céus…

Adoro ir aos bancos. Sobretudo pelo tempo que se perde, por muito bem atendidos que sejamos. Por cá, acaba por ser sempre uma verdadeira maratona. O trânsito, lugar de estacionamento, as filas (sou muito cumpridor e não gosto muito de passar à frente de ninguém) e os diálogos por vezes surrealistas com as funcionárias. Explicar que, qualquer movimento bancário, sobretudo o que tenha a ver com débitos efectuados pelo banco são passíveis de emissão de documento comprovativo desse movimento pela entidade bancária. E não só de débitos falamos. Depois, porque o sistema não emite. A seguir porque já é do ano passado e o sistema já eliminou. Para terminar com o fenomenal do está no extrato!

O melhor estava reservado para perto do fim do dia (bancário, claro). Cheguei ao banco por volta das 14:35 e, como é (a)normal, a gestora de conta não se encontrava presente. Esperei. E esperei. Esperei mais porque precisava mesmo dos documentos e não gosto de ter movimentos em aberto. Uma hora e tal depois, já perto das 16:00 e com o banco fechado, a senhora lá apareceu. Cigarro numa mão, chaves do carro na outra e uma descontração de quem já está com o espírito noutras paragens. Começou por atender uma “doutora”, independentemente de ter chegado muito depois de mim, com todo o deferimento e numa situação que eu só me ria porque se passou toda à minha frente. Então “doutora”? Qualquer dia é como no Brasil onde qualquer artista é “dôtô”. Voltando à minha queridíssima gestora de conta que me fez esta cena pela segunda vez mas, na primeira, mandei umas bocas e fui embora porque tinha mais que fazer, lá me atendeu. Fui rápido, curto e conciso. Pedi-lhe alguns comprovativos de movimentos bancários de uma certa dimensão. Olhou para aquilo e voltou a olhar. Que não podia ser naquele momento. Que deixasse ficar que “depois” trataria do assunto. Ok, aqui a minha pulsação deve ter disparado para os 150… Perante a minha estupefacção, disse-me que aquela hora já não podia fazer mais nada porque tinha que fechar o dia ao que lhe respondi que seria natural pois tinha ficado mais de 1h à sua espera… Repetiu para deixar ficar que depois tratava do assunto. Perguntei-lhe quantos anos é que demoraria a dar-me os documentos? 20, respondeu-me, perguntando de seguida se estaria bem.  Aqui as coisas azedaram um bocado… E que mandasse o nosso funcionário habitual. Estava lá eu, respondi-lhe. Nem o nosso funcionário e muito menos eu, tínhamos tempo para passar a vida no banco. Ora não havia sistema, ora não podia, ora não se encontrava no local de trabalho, ora que deixássemos, ora que ia falar com os colegas que tratam do assunto, ora que não sei o quê e não sei o que mais… E repeti que queria os documentos e se não conseguiam dar-nos a porcaria dos três papeis! E que não podia. Até porque estava a pedi-los pela primeira vez, como é que eu queria que mos desse naquele momento. Respondi-lhe então que não só tínhamos escrito a solicitá-los como o nosso funcionário já se tinha deslocado ao local inúmeras vezes sem sucesso. E perguntei-lhe, uma vez mais, se achava que nós não tínhamos mais nada para fazer a não ser passar a vida num banco à espera que nos entregassem por favor algo que era legitimamente nosso e obrigação do banco entregar ao cliente. Sem mais paciência, após perguntar-lhe com quem teria que falar uma vez que ela não era capaz de me dar os documentos solicitados, acabei por abandonar as instalações do banco. E a decisão tomada de tirar de lá todo o dinheiro. E a reflectir de como são umas bestas de uns incompetentes, displicentes, “arroguentes” e todas as palavras terminadas em “entes” que se possa imaginar e de como de vez em quando se lembram de nos contactar a perguntar porque é que não trabalhamos mais com eles, que não gostamos deles, etc e tal… Espelho, espelho meu…

Após este testamento, lá tenho alternativa a não ser bater recordes atrás de recordes?…

Bem prega Frei Tomás!

20 Março 2009

Acredito piamente que, devido à falta de lucidez e demência precoce aliadas a uma inacreditável pobreza de espírito, tenha feito uma promessa de entrega generosa de dízimo extraordinário, à conta da boa-fé alheia, de modo a tentar evitar o lugar que já lhe está garantido e reservado no inferno. Verdade seja dita, com aquela cabeça completamente destruída por alucinações, gritos em ambientes colectivos e curas milagrosas por acção “divina” contra uma “esmola”, já vive, ela, num.

A piada de toda a história é ter-me ameaçado um dia com a acção divina e que seria julgado no dia do juízo final. Depois de eu lhe ter dito em diversas ocasiões, anteriores à ameaça, que era ateu e que estava a perder o seu patuá? Para além de todos os outros defeitos – por isso é que se refugiou na religião, pois ser-lhe-á mais fácil pagar os perdões e fingir-se a beata das beatas do que regenerar-se – é burra que nem uma porta!

O título do post tem a ver com o resto.

Domani matina

20 Março 2009

Cá chegará o Papa.

Felizmente decretaram tolerância de ponto, senão seria, ironicamente, um verdadeiro inferno na cidade. Sorte de quem tem a oportunidade de gozar mais um excelente fim-de-semana de 3 dias. São uns atrás dos outros para gáudio de quem os usufrui devidamente.

Nada como ser ateu e ir para a praia sem remorsos ou complexos de culpa de qualquer tipo.

Sistemas…

12 Março 2009

Volta e meia, quando se vai a qualquer lado, não há sistema. Pretende-se pagar a água na EPAL e… não há sistema! “E agora?”, pergunto. “Volte na 2ª feira…”, responderam-me.  Vai-se ao banco para levantar dinheiro, saber o saldo, entregar um documento e… não dá, porque não há sistema! Que não haja sistema, ainda vá que não vá, agora que o ar condicionado esteja avariado…

O recordista dos sem sistema é o BFA. De tal modo assim é que, de tanto faltar o sistema, está-se já perante um caso…sistémico! (isso e encontrar no banco a minha gestora de conta, mas isso são outros mambos…).

A raposa e a ovelha…

11 Março 2009

(ainda bem que o tipo é benfiquista!)

“Unita acusa Vale de desviar um milhão”
in Correio da Manhã, 09.03.2009

O que me fartei de rir com esta notícia. Como é possível? Então passa-se um milhão para um tipo sem se ter mais informações sobre o mesmo?! Um cadastrado, alvo de tanta publicidade há não muito tempo?

À luz do dia

20 Fevereiro 2009

Do outro lado do Atlântico, tipos espertos criaram os seus esquemas Ponzi os quais lhes permitiram viver em grande à conta da ganância alheia. Aliás, não deixa de ser irónica esta vertente antropofágica da dita. Do “nosso” lado, é a “excelência” revelada, qual novela, pelos episódios do dossier de um banco que se dizia de negócios…

Semana nº8

17 Fevereiro 2009

E mais uma semana, diz-se abundantemente. Pois a minha começou de forma bera… Daquelas em que se pensa inúmeras vezes como pode ser “terrível” andar por estas paragens.

De manhã, relativamente cedo, tendo que deslocar-me a várias instituições, tive a brilhante ideia de deslocar-me de carro. Retirei-o da segunda fila e pus-me a caminho. No parque de estacionamento onde pretendia parquear o bólide, ali para os lados da Mutamba, vi-me confrontado com uma lotação esgotada resultado da velha máxima dos sete cães a um osso. Isto, depois de ter demorado quase uma hora para chegar ao local, num pára arranca interminável. Dei voltas e mais voltas. Mutamba, área presidencial, marginal, etc e tal até ter optado por desistir e voltar ao ponto de partida. Virei-me para a sombra e, qual Lucky Luke, disse-lhe que ia a pé. A primeira etapa correu bem. A segunda, distante, fez-me soar as estopinhas. A alta velocidade, escadas abaixo, qual não é o meu espanto quando vejo o espaço vazio. Nenhuma informação. Ninguém. Dirigi-me então ao mais próximo e, uma vez mais, ninguém. Muito barafustei! Para quê? Já foi uma grande instituição, agora? É o que se vê… Neste périplo, perdi uma manhã quase inteira. Mas o melhor estava mesmo reservado para o fim. O meu carro estava para ser rebocado por estar em segunda fila! É preciso ter lata! Nos últimos 40 meses, foram emitidas cerca de 460.000 novas matrículas em Luanda. Nesse mesmo espaço de tempo, não foi construído nenhum parque de estacionamento. Não transportes públicos (convencionais) que permitam às pessoas não pensar em ter viatura própria para se deslocarem de casa para o trabalho e regresso, em segurança. Dito isto, sendo a cidade a mesma, onde é que se quererá que as pessoas estacionem as viaturas? No bolso?!

À noite, problemas na internet. Não sabem porque é que funciona. O mais interessante foi que, ao longo das últimas 24h, os funcionários do call-center deram versões completamente diferentes do que se passava! Ao ponto de me fazerem passar…

Acho que havia mais qualquer coisa mas já nem me lembro bem porque já descarreguei. É o tipo de coisas que ficam na memória descartável. Um bom treino no ginásio e uma noite bem dormida, resolvem o assunto…

25 Euros?

15 Fevereiro 2009

Estou escandalizado! Multa de 25 Euros por se pedalar no paredão de Oeiras? A cretinice dos responsáveis por tais medidas é incomensurável! Somos um país com gente de mentalidade tacanha, aldrabões e preguiçosos. É que não vale a pena. Pior do que isto só quando me proíbiram de entrar no parque de estacionamento da empresa com a bicicleta… Cambada de cretinos! Ainda me candidato a presidente de uma autarquia…

Dilema

9 Fevereiro 2009

Considerando-me ideologicamente de esquerda e, por opção há muito assumida, completamente apartidário, estou algo chocado com o desempenho governamental há já algum tempo. Sobretudo o que me parece ser uma viragem claramente populista, profundamente tentadora em tempo de crise e sacrifícios continuados. A novidade mais recente mostra bem o miserabilismo de quem nos governa. Não se vai ao essencial (e impopular), atira-se umas migalhas aos famintos de “justiça”!

Olhando para os lados, é algo trágico-cómico o que se vai passando. Só espero que Sócrates não renove a maioria absoluta e que, à “direita”, se resolva a questão da liderança logo após a derrota nas legislativas. É engraçada a política e interessante o “voluntarismo”, ou desejo de poder, de quem aceita ser sacrificado em nome do partido…

País original

9 Fevereiro 2009

Nos últimos tempos, apesar do escasso tempo que vejo televisão (na realidade não vejo, oiço), tenho ouvido intervenções dignas de registo. Há instantes, o seleccionador Queiroz dizia, resumindo e atalhando, que se não se alimentar a vaca ela morre. Muito bem. No outro dia, Carlos Tavares, o responsável da CMVM, em plena Comissão Parlamentar de Inquérito utilizou um exemplo, no mínimo, particularmente infeliz. Para explicar o que se estaria a passar actualmente com a injecção de liquidez no sistema, de modo a que os parlamentares percebessem bem, estabeleceu um paralelismo com um bêbedo que acorda de manhã ressacado e que, para se sentir melhor, bebe uma cerveja. Claro que provoca o aumento do álcool no seu organismo e não reduz o estado de embriaguez mas sente-se melhor. Eventualmente devido a algumas reacções faciais (espero eu!) de alguns dos presentes, lá atalhou dizendo que também ele não o sabia até alguém lhe ter dito.

Isto dá que pensar, não é por nada…

Pedras

8 Fevereiro 2009

Ia falar sobre pedras. As que tiveram direito a post, por aqui, em modo “light”. Mas o assunto é sério porque, com demasiada frequência, os embates têm consequências terríveis. Ainda ontem, tive que desviar-me in extremis de uma que, juro, palavra de honra, sinceramente [vou morrer assim]*, estava com um pé dentro da estrada…

Calhou, há uns tempos, passar em frente ao Bob’s, pouco tempo depois de um grave acidente de viação, onde vi o candeeiro mais ou menos no sítio, tirando a amolgadela, o enorme calhau, vermelho e branco, inerte, sem sentidos, a olhar para baixo e, a cerca de dois metros, um SUV desfeito mas ainda com os faróis acesos. O calhau cumpriu com a sua missão. O candeeiro lá estava.

Só me pergunto para que é que servem as pedras se com uma frequência surpreendente os candeeiros estão apagados?…

*para quem não conhece, música dos anos 90 do outro lado do continente e muito apropriada à situação.

Tou

7 Fevereiro 2009

C’um sono…

Isto é bom, mesmo antes de uma reunião importantíssima às 15:00 (é preciso ter galo…)!

Da incontornabilidade

31 Janeiro 2009

Do meu ateísmo.

A “mulher” é intragável e nunca percebi de forma tão clara, como agora, as graves consequências do foro psicológico provocadas pelas “mézinhas”, popularizadas pela liberalização do culto religioso sob a forma de supermercados da fé…

Runnin’

31 Janeiro 2009

Já regressado aos sprints, mesmo com algum lastro a mais adquirido nas semanas em que estive fora do país. Já consegui fazer os 1.500m em 6:05 e 2.870 em 12:00. Nada mau… Mas o regresso é sempre extremamente doloroso!

Post-it

24 Janeiro 2009

Eu sei que o título não tem qualquer originalidade mas, sem tempo para responder aos comentários e deixar por aqui posts mais interessantes, serve o presente apenas para informar que, a esta hora (1:45), estão +26,4ºC (graças ao novo edifício-sede da Sonangol). Está um calor insuportável!!!

Dijon

20 Janeiro 2009

Por norma, é a minha preferida. Todas as demais, na sua esmagadora maioria, são reles ou de fraca qualidade. Autrement dit, on peut toujours essayer car on n’y arrivera jamais!

É tudo uma questão de matéria-prima. Quando lhe falta a qualidade, é impossível fazer um bom produto final. Por exemplo, falando agora de calhaus. Quando se esgotou o branco Carrara, os italianos trataram de explorar pedreiras por esse mundo fora que pudesse ser parecido com Carrara. Quanto mármore não terá sido comprado nestas condições? Mas Carrara não passa de um calhau, já Dijon…

2:30

6 Janeiro 2009

De atraso.

Em princípio haverá vôo, apesar dos sucessivos avisos no sistema de som do aeroporto que devido às más condições climatéricas poderá haver atrasos e/ou cancelamento de vôos. Só a Lufthansa cancelou 4 ou 5 vôos hoje.

Lá fora, -2ºC e um manto de neve enorme.

Frio

5 Janeiro 2009

À chegada, no que seria a temperatura mais alta do dia, -2ºC. O frio foi aumentando ao longo do dia ao ponto de ter visto -6ºC enquanto dava uma volta pela cidade umas horas mais tarde.

Nas notícias, há instantes, a divulgação da morte de 5 pessoas devido ao frio, não muito longe daqui, por viverem em casas sem aquecimento central…

E posso?

26 Novembro 2008

Já passava do meio-dia quando me disse, a terminar a reunião, que teríamos um encontro com o ministro às 17:30. Seca, pensei. Ainda tinha que ir almoçar, preparar informação, documentação, levar tudo, rever números, ir a casa, fazer a barba, tomar banho, ver que roupa é que ainda tinha disponível, vestir a melhor camisa, dar o nó à gravata, vestir o fato menos amarrotado, perfumar-me e ir.

Cheguei a horas ao local combinado. Aliás, fui mesmo o único como viria a ser informado pouco tempo após a minha chegada pela secretária. Acto contínuo, desejei-lhe um bom fim-de-semana e dirigi-me para o elevador. O segurança abriu-me a porta e entrei. Já no interior, reparei, através do reflexo da porta do elevador, numa senhora que corria para o elevador pelo que fiz um movimento para segurar a porta. Ao ver-me a senhora recuou e disse que já estava ocupado ao que lhe disse para entrar porque eu não ocupava o elevador todo. Perguntou-me se podia mesmo e eu reiterei o que dissera antes. Disse-me então que era habitual os dirigentes não gostarem de andar com outras pessoas [como ela] no elevador.

Boa noite

26 Novembro 2008

Constato, só para registo porque me é quase totalmente indiferente, que há dois subgrupos de gente mal educada [que frequenta o ginásio, claro está!]: os brasileiros, na sua quase totalidade, e os funcionários [nacionais] das petrolíferas (exacto, funcionários não donos…).

Ultrajante

28 Outubro 2008

Uma pessoa que tenha por função conduzir um autocarro é motorista de transportes públicos, tanto quanto me lembro. Se lhe perguntarem “qual a importância da língua do boi no orgasmo da vaca”* é capaz de ficar um bocado atrapalhado porque não tirou veterinária e o mais provável é que responda que não sabe. Da mesma forma, se se espetar à frente de um polícia um papiro cheio de hieróglifos, se for uma pessoa normal e que não se tenha especializado em egiptologia, é expectável que reaja dizendo ao turista mumificado que aquilo para ele é chinês e que por isso não pode ajudar, nunca dirá que não percebeu bem o que lá estava escrito… Resumindo, se o Canadá é porque pode e se o Bangladesh pode ser que a Índia suba**.

Bom, por hoje já chega a ver se ainda consigo encontrar uma sala de gritos e berros aberta a esta hora!

Nota:
* pergunta efectuada pelo Zé da Maia na nossa praxe a uma caloira…
** um gajo quando é mais novo ri-se das coisas mais estúpidas possíveis e imaginárias, tipo dar uma de muito inteligente e com humor muito fino.

Posfácio: o que é que ainda estou a fazer por estas paragens?

Afro-american

26 Outubro 2008

É daquelas expressões particularmente infelizes. Afinal são ou não (americanos)?

Noite de pesadelos

24 Outubro 2008

Há muito tempo que tal não me acontecia mas esta noite foi terrível. Fartei-me de gritar desesperado enquanto dormia, ao ponto de ter acordado em diversas ocasiões com os gritos que dava. A única coisa que me lembro dos pesadelos que estava a ter é a sensação terrível de ter o indicador direito cheio de espinhos pretos, extremamente finos, e de estar a arrancá-los lentamente.

Frases

19 Outubro 2008

Ontem passou por mim uma “dama” com uma t-shirt onde se podia ler “Belesa única” ao que acrescentaria “Analfabetismo absoluto”.

A pulga

17 Outubro 2008

Socorro. Há 3 dias que não me larga. Já fiz de tudo, até despir-me todo no gabinete a ver se a encontrava e não o consegui. Começou no braço esquerdo (que coisa tão estranha!), depois foi para o tornozelo esquerdo, subiu, mordeu-me todo no rabo e nas costas. Ainda por cima sou daqueles felizardos que faz umas babas terríveis… Como é que se apanha uma pulga?!

Sebenta errada

15 Outubro 2008

– Mas após a análise da documentação verificámos que faltam aqui documentos. Olhe, por exemplo este, não enviou o recibo da venda a dinheiro!

Que resposta é que uma pessoa dá a alguém que nos diz uma coisa destas, que tirou economia, gestão ou o diabo a quatro, tem gabinete individual com ar condicionado, computador de última geração, um bruto jipão, lugar marcado no parque de estacionamento e fala com ar afectado?