Archive for the ‘Uncategorized’ Category

6 anos

29 Março 2009

Fez no dia 7 de Março, 6 anos que cheguei a Angola. Com outros tantos de Moçambique e já lá vão 12. Jamais esquecerei quando me perguntaram ao chegar a Moçambique pela segunda vez, por quanto tempo ia ao que respondi na altura que por 2 anos no máximo. Sorriram e disseram-me que também eles o diziam anteriormente.

Replay

29 Março 2009

Nesta altura do ano, por sinal mais intensa em termos de trabalho, acabam por ser recorrentes as reuniões ao sábado. Neste caso foi fora de Luanda tornando o acontecimento algo “penoso”. Mais de 2 horas para chegar ao local da dita, no meio de um engarrafamento descomunal – a propósito, o CD já deve ter acabado pois vi no outro dia o 99-56 – e conós que têm carta sei lá eu como. Já no local, atrasado, tive que esperar quase 2h para reunir devido a um “imprevisto” programado inconscientemente. Sem sobressaltos, a reunião foi “rápida” e em conformidade com as expectativas e estratégias há muito definidas. É engraçado como, ao longo do tempo, muito se torna reflexo mais por comunhão de perspectivas do que por condicionalismos vários. Adiante.

O Giovanni estava eufórico como habitualmente. É uma figura incontornável da minha, da nossa, de muitas passagens por estas latitudes. Muito saber e experiência. Há sempre um. Em Moçambique era o Henriques, também conhecido por Wela Wela. Energia sem fim. Levei o comandante G. até ao R. pois este dizia-me sempre que lhe falava do Giovanni que gostaria imenso de voltar a vê-lo. Grandes kambas. Os dois juntos, são muitos quês. E riem-se, rimo-nos todos que nem uns perdidos após meia dúzia de palavras. Tantas histórias.

Saudades passadas, metemo-nos a caminho. Demos muitas e mais voltas, tentando assim escapar ao trânsito e fazendo-nos temer não chegar à cidade a tempo de evitar as nuvens cinzentas que se iam concentrando por cima de Luanda. Nem de propósito. Instantes depois de ter deixado o Giovanni em casa, caíram as primeiras gotas. Uns minutos depois e já caíam bátegas, não sendo a velocidade máxima do limpa pára-brisas suficiente para afastar toda a água que nos caía em cima. O vento fazia abanar até os semáforos como se fossem simples ramos. Mesmo assim, com velocidade reduzida, consegui chegar ao meu destino e fazer um compasso de espera na vâ tentativa da chuva acalmar. Qual quê! Piorou. Já não era só chuva forte acompanhada de vento. Começaram a cair os raios em toda a parte e mesmo por cima de nós. Relâmpagos enormes que rasgavam o negro do céu logo seguidos de trovões imponentes. Uma tempestade daquelas, famosas por estas paragens e que normalmente se seguem a dias demasiadamente quentes e abafados como o de hoje. Apesar de estar a apreciar o espectáculo que sempre é uma chuva destas – alguma vez esquecerei a chuva a atravessar o rio dos Bons Sinais em direcção a Quelimane? – tive que sair do carro e correr os 5 metros, com grandes quantidades de papeis debaixo dos braços, para chegar à zona seca desconseguindo evitar uma valente molha.

Já com menos chuva e vários papeis vistos, fui correr um bocado. Mais 10km. Hoje dediquei-me a contar quantas passadas dava num minuto. A12kmh, contei 176. Ou seja, 1,14 metros por passada. E como gosto de estatística, claro que calculei quantas passadas dei hoje durante a corrida… qualquer coisa como 9.460! Como a máquina dá o consumo calórico, também se chega ao valor por passada. Mamauêê!!! Ou seja, se comer um daqueles chocolatinhos que não gosto nada, mas mesmo mesmo nada, tenho que correr várias horas… é lixado!

A caminho da casa do príncipe, já com menos chuva mas muita água na estrada, foi possível ver alguns dos estragos provocados pela chuva forte do fim da tarde. Muita água, buracos destapados, pedras, terra, lixo, vegetação e painéis caídos. Até nas escadas dos prédios.

Depois da festa, ao levar um amigo do pai do príncipe à ponta da ilha, aproveitei para fazer um reconhecimento ao terreno pois estava programado irmos tomar um copo esta noite. Rapidamente percebemos que seria má escolha. Pelo caminho, alguns sinais recentes de grandes acidentes lembraram-nos de como é perigoso circular à noite em Luanda durante o fim-de-semana. Mais adiante, as chapas colocadas em várias obras não resistiram à chuva e ao vento e tombaram para o meio da estrada. A carga de água foi de tal forma que o trânsito estava perfeito. Quase ninguém. Melhor assim, pois a água era tanta que o inferno seria mais do que uma realidade. Caramba! Há tanto tempo que não via assim tanta água.

À chegada a casa, a chuva continua a cair mas agora com uma cadência muito menor. Imagino as notícias que sairão amanhã…

    Adiante

    25 Março 2009

    Que a “crise”  continua por aí. Vou acompanhando, mais ou menos à distância, a evolução da dita. Alguns contornos são interessantíssimos. Desde a recente divulgação que a Lehman Brothers pode ter ido ao “tapete” devido à prática proibida de naked short selling que terá estado na origem da queda vertiginosa das suas acções na bolsa, seguindo-se o colapso que culminou na presente crise até às recentes intervenções da China relativamente ao dólar americano.

    Não questiono se o que se seguiu [ao colapso da Lehman Brothers] poderia ter sido evitado ou não mas se a administração Obama estará tão preocupada em punir tão severamente os autores e actores do atrás descrito com tanta energia como a que demonstrou para a devolução dos prémios atribuídos a funcionários da AIG – e como é que está o processo do mega desfalque de centenas de milhar de milhões de USD dos contribuintes americanos desaparecidos no Iraque?

    As notícias, que em catadupa se atropelam nos streams, divulgam dados a uma velocidade vertiginosa. Sobre o desemprego, sobre as medidas de Obama, sobre a venda de casas usadas, sobre as medidas de Obama, sobre a venda de casas novas, sobre as medidas de Obama, sobre a forte contracção do total de plafonds atribuídos em todo o universo de cartões de crédito em circulação, sobre as medidas de Obama, sobre a revisão do PIB, sobre as medidas de Obama, sobre a variação do rendimento individual, sobre as medidas de Obama, sobre a variação da despesa individual, sobre as medidas de Obama, sobre o Chicago PMI, sobre as medidas de Obama…

    Claro que mais assustador é saber-se que as exportações nipónicas caíram 49% em Fevereiro, que se prevê agora que a economia alemã possa contrair-se este ano 9%, que a Roménia teve que pedir uma “linha” de 20.000 milhões para não entrar em default, que os anúncios de intervenção de vários biliões de dólares (triliões na versão americana) estiveram na origem da recente desvalorização da divisa americana, que o último leilão de OTs britânicas não conseguiu ser colocada na sua totalidade, etc, etc, etc.

    E o que dizer do imposto extraordinário de €1.000 por contribuinte a ser implementado este ano na Grécia?

    Sinceramente, acho que não é de se perder muito tempo com isto. Será extremamente interessante estudar este período da história contemporânea, numa perspectiva académica, e pouco mais. Bom, a não ser forçar a alteração das regras do jogo. Tirando isso, é aproveitar o que a vida tem de melhor já que esta crise é muito original. Quem lixou a confiança?

    Coisas da Terra

    20 Março 2009

    Fonte: Reuters

    Impressionante a erupção submarina ocorrida hoje ao largo de Tonga, no Oceano Pacífico. Noutras fotografias que vi, tiradas de outras localizações, dá mesmo a sensação de se ver um cogumelo atómico. Escapámos a algo do género, no dia 2 de Março, graças à passagem de raspão pela Terra do asteróide DD45 2009, apenas descoberto a 27 de Fevereiro, a 72.000km do planeta…

    Entretanto

    12 Março 2009

    Preocupados com a saúde da economia, do mercado de trabalho, da próxima bolha a estourar e tantos, mas tantos, outros assuntos que se destacam nas agendas doméstica e internacional, a última coisa que se esperava era um incidente militar entre os EUA e a China e logo no Mar do Sul da China.

    O que é verdadeiramente interessante é que a cada inauguração presidencial, a China “testa” o novo presidente norte-americano. Apenas cerca de 2 meses após ter tomado posse como presidente dos EUA, George W. Bush era confrontado com um incidente relativamente grave envolvendo um avião Lockheed P3C Orion, cheio de instrumentos electrónicos, o qual, após colisão em pleno ar com um caça chinês, foi forçado a aterrar de emergência na ilha chinesa de Hainan e a sua tripulação detida. Pior sorte teve o piloto chinês que acabou por morrer. Desta feita, é Obama que é confrontado com um incidente naval, cerca de 2 meses após a sua tomada de posse. Contrariamente ao piloto chinês, as embarcações que se aproximaram do navio de guerra americano, ao apanharem com os jactos de água dos americanos, despiram-se e mostraram-lhes o cu.

    A precisão é impressionante, já os métodos denotam alguma evolução…

    Mudança de hábitos

    11 Março 2009

    Não deixa de ter a sua piada. Desde que recomecei a fazer desporto, a minha disponibilidade para outras actividades, praticamente desapareceu. Hoje em dia, a título de exemplo, se passar 1h diariamente na net é meramente por acaso e a maioria desse tempo por razões profissionais. Os [meus] dias, por norma, começam bem cedo, cerca das 6h da manhã. Seguem-se manhãs invariavelmente agitadas, seguindo-se um almoço na piscina e um resto de dia de trabalho já mais calmo. De modo a cortar o mais possível o stress, uma vez que não sei fazer por menos, segue-se uma sessão “violenta” de ginásio com preponderância na componente cardio. É o que mais rebenta comigo, distrai-me e, sobretudo, não quero ficar uma besta. Como acabo tarde, por volta das 21:00, já só tenho tempo para comer algo, inteirar-me do que se passa no mundo – o mesmo é dizer como é que fechou o cross eurodólar, o preço do petróleo, a evolução da crise, noticiário financeiro, o que se passa em Portugal (muito na diagonal) e no mundo, salto ao BNA para ver se já actualizou as estatísticas, um ou outro blog para ver se está tudo bem – não sem dar uma vista de olhos nas várias contas de e-mail que tenho (se tiver paciência e não tiver ainda adormecido no sofá!). Claro que Messenger não tenho, ie, não abro. Er… não tenho tempo. Nada do género. Uma vista de olhos aqui no blog e já está! Cama porque até tenho umas coisas para ler e preciso dormir… :p Ah claro, o corolário disto tudo é a consolidação em torno dos 70 e um certo regresso a hábitos antigos e que muito gozo me davam. Só falta recomeçar a desenhar.

    Os da minha rua

    9 Março 2009

    ondjaki_osdaminharua

    Já tinha lido alguns artigos sobre Ondjaki, o escritor angolano revelação da nova geração. Na semana passada, na piscina, uma amiga falou-me igualmente bem dele e do que escreve sugerindo a leitura de “Bom dia camaradas” ou “Avó Dezanove e o segredo do soviético”. Calhou um amigo regressado esta semana de Lisboa ter comprado o “Os da minha rua”, de Ondjaki, editado pela LeYa, em 2009, ISBN: 9789896530020. Li-o todo, de uma só vez, durante o dia de hoje. Algumas das vinte e duas “estórias” da infância do autor são simplesmente divinais as quais são enriquecidas por uma escrita que corresponde fielmente à forma de falar local, as palavras completamente mirabolantes como “abuçoitos”, “cambaia”, “esculú” ou “esquindiva”, para citar algumas. A merecer claramente um lugar de destaque na biblioteca e a procura das demais obras deste autor angolano.

    Excomungados de Abril

    9 Março 2009

    excomungados-abril

    Depois dos anteriores, foi a vez de “Os Excomungados de Abril, os Empresários na Revolução”, de Filipe S. Fernandes e Hermínio Santos, editado pela Dom Quixote, em 2005, ISBN: 9722029509. Para além de ser um tema que me atrai, o livro em si mostra uma outra visão da revolução e dos anos imediatamente a seguir. Suportado por diversas entrevistas e diversas fontes bibliográficas, não deixa de ser interessante, embora por vezes algo ligeira, esta viagem pelo período aos olhos dos outros.

    Aprendi que, em todos os temas e assuntos, há que “ouvir” as diversas posições, reflectir sobre as mesmas e retirar as devidas conclusões. Por isso e pelo facto de conhecer pessoalmente algumas das pessoas referidas no livro, esta leitura foi igualmente rápida e interessante.

    Receita afro-mediterrânica

    3 Março 2009

    Ultimamente tenho treinado um pouco mais do que é habitual. Treinos bi-diários virados essencialmente para a resistência com aumento progressivo de velocidade. Hoje foi um desses dias (30km de bicicleta 75:00, 6km a correr 24:00), particularmente puxado. Por isso mesmo, decidi presentear-me com um repasto, digno de um rei, bem ao estilo da velha tradição da gastronomia mediterrânica. Deixo-vos aqui a receita, pois decerto acharão algo imperdível o que inventei esta noite inspirado pelos bons resultados atingidos.

    Antes de passar à receita propriamente dita, gostaria de dizer que este magnífico prato é económico e razoavelmente rápido de preparar (e comer, com a fome que estava!).  Por diversas razões, não deixo aqui a fotografia até porque não tive grandes preocupações estéticas, em termos de apresentação (queria mesmo comer o que quer que fosse que me aparecesse à frente!).

    Receita de Atum à la Arco-Íris

    Ingredientes:

    50 g de feijão verde
    3 colheres de sopa de azeite do bom
    1/2 cebola das grandes
    4 batatas novas
    1/2 pimento amarelo
    1/2 pimento vermelho
    1 tomate maduro vermelho
    1 colher de sopa de sal grosso
    1/2 colher de sopa de pimenta preta
    1 cenoura
    1 lata de atum (português, de preferência)

    Preparação:

    1. Lavar bem o feijão verde, abri-lo com uma faca qualquer e sacar tudo o que esteja lá dentro. Lavar e voltar a lavar;

    2. Pegar nas batatas, com casca, e lavá-las. Voltar a lavar. Mais uma vez. E outra;

    3. Já com a água a ferver na panela, pegar nas batas e no feijão verde e atirar para dentro da panela. De preferência a alguma distância porque a água a ferver queima!

    4. Atirar com o sal lá para dentro (da panela);

    5. Enquanto aquilo coze, pegar numa frigideira e untar bem com azeite;

    6. Pegar na cebola, entretanto picada, e colocá-la dentro da frigideira logo que o azeite já esteja suficientemente quente para acolhê-la;

    7. Entretanto, ir controlando o que se passa na panela ao lado. Uma boa forma é pegar num garfo e ir espetando as batatas para ver como estão…

    8. Ah, o tomate maduro é despedaçado o mais possível e colocado de lado à espera da sua vez;

    9. Os pimentos, depois de extraídas as partes que não interessam, são cortados em fatias;

    10. Já com a cebola alourada na frigideira, pega-se no tomate e espalha-se por cima, mexendo de seguida;

    11. Pega-se na panela, escorre-se bem e retiram-se as batatas e o feijão verde. As batatas são então cortadas às fatias, o mais finas possíveis, e colocadas, juntamente com o feijão verde, na frigideira;

    12. Logo de seguida, pega-se no pimento fatiado e procede-se de igual maneira;

    13. Com as cores todas misturadas, pega-se no atum e atira-se para dentro da frigideira, procurando fragmentá-lo o mais possível;

    14. Mexe-se bastante o que está na frigideira e espalha-se a pimenta e algumas ervas aromáticas na frigideira;

    15. Continua-se a mexer até ganhar a consistência e alguma homegeneidade de confecção;

    16. Entretanto, pega-se na cenoura, esfola-se, passa-se por água e come-se mesmo crua antes do jantar. Sabe mesmo bem!

    17. Assim que parecer que está em condições de ser comido, desliga-se o lume e despeja-se o conteúdo da frigideira num prato, até porque não há mais ninguém a ver e não há cerimónias.

    Já com o prato pronto e servido, esta noite decidimos acompanhar a refeição com pão de centeio e o excelente tinto do Dão, Cabriz Reserva 2005, o qual está à altura de tão magnífico manjar.

    À sobremesa, um pouco de Camembert com mais um bocado de pão de centeio.

    A concluir, chá verde acompanhado das excelentes ANNA’s (cappuccino thins).

    Bom apetite!

    PS-Esta receita está protegida por copyright e patenteada em Nova Iorque, Londres, Bruxelas, Lisboa, Hong-Kong, Tóquio e Buenos Aires.

    Até gostava

    26 Fevereiro 2009

    De experimentar, mas onde é que arranjo cogumelos pleurotos?!…

    Adoro isto!

    25 Fevereiro 2009

    compal-vital-frutos-vermelh_83

    Embora eu seja mais Manga Acerola.

    Assimetrias

    25 Fevereiro 2009

    A National Association of Realtors, dos EUA, divulgou hoje os dados relativos às vendas de casas usadas no mês de Janeiro naquele país. Os dados anunciados foram terríveis e não me vou pronunciar muito sobre os mesmos à excepção de um. O preço médio foi de $170.300 (-14,8% comparativamente a Janeiro de 2008).

    Por cá, publicava o Jornal de Economia & Finanças uma entrevista a um responsável de uma construtora [brasileira] com elementos interessantes. Dizia ele que a empresa tinha mudado a estratégia para investir em imóveis de média renda. Traduzindo, concluirá em 2010 um empreendimento de alta renda em Talatona, com os apartamentos mais pequenos a custarem $700.000 e os maiores $1.000.000, e passará a investir em imóveis com apartamentos a vender entre os $300.000 e os $400.000.

    200.000+

    23 Fevereiro 2009

    Desde que mudei daqui para aqui, com minha pena minha pois adorava o outro, o antigo, pelo facto de poder desenhá-lo como queria, a 2 de Novembro de 2006, o blog já foi alvo de 200.000 page views (vocês não têm mesmo mais nada para fazer lol! Ah! E as minhas não contam!). É um número giro, com muitos altos e baixos, que foi atingido esta madrugada.

    Excepção feita para quem me conhece, pergunto-me o porquê do regresso. Independentemente de tudo, este blogue está a funcionar para mim como uma espécie de Livro em Branco (lembram-se?). Pois, eu era um dos maluquinhos que os tinha. Vários. E que muito prazer me dão rever quando tropeço neles de vez em quando.

    Um abraço e um beijinho a quem por aqui passa ;)

    6 verdades, 3 mentiras

    22 Fevereiro 2009

    A Emiele “apanhou-me” nesta. Ora vejamos o que sairá daqui…:

    1. Contrariamente ao que é habitual, “parti” a cabeça pela primeira vez aos 22 anos, em circunstâncias inenarráveis.

    2. Em desporto, sempre abominei a competição. De tal modo assim era que entrava em stress absoluto e, a contragosto, acabava por participar. Uma vez, na piscina do Areeiro, após o disparo para a competição dos 50m livres, ia de tal forma a alta velocidade e compenetrado em ganhar que não vi o fim da piscina tendo embatido violentamente contra a parede. Mesmo assim, consegui terminar em 2º lugar.

    3. Sou “anormalmente” descontraído. De tal modo assim é que quando fui apanhado completamente nu, em cima da cama de um quarto na residência feminina da universidade francesa onde estava, no quadro do programa Erasmus, fiquei exactamente como e onde estava perante o embaraço de quem não estava à espera de encontrar alguém.

    4. Graças à prática de desporto desde jovem e algumas qualidades/capacidades fora do comum, acabei por fazer a tropa nos para-comandos. Ao longo do período que ali estive, a missão que constituiu o maior desafio foi a da Bósnia-Herzegovina onde permaneci quase um ano.

    5. Há dois elementos que me seduzem fortemente desde novo: a água e o ar. Mais jovem, o passatempo de verão era saltar das pranchas para a água. As duas melhores sensações que tive até hoje, talvez também pela “tenra” idade das ocorrências, foram quando saltei da prancha de 11 metros e de cabeça da de 6 metros.

    6. Sempre gostei de desenhar, desde que me conheço. Por motivos vários, acabei por seguir outro rumo não sem antes ter sido convidado a participar numa exposição, aos 21 anos, a qual foi um sucesso ao ponto de quererem comprar alguns dos meus trabalhos.

    7. Sportinguista de nascença, treinei juntamente com o Figo até chegar à conclusão que safar-me-ia melhor com outra profissão que não a de futebolista. Para além disso, abominava a obrigatoriedade dos treinos e imposições da equipa técnica.

    8. Ia sendo preso no aeroporto JFK, em Nova Iorque, por ter respondido a sorrir, à pergunta se levava comigo armas, explosivos ou algum outro material perigoso, que para além de duas granadas, alguns explosivos e uma faca não tinha mais nada comigo.

    9. Nos últimos campeonatos nacionais de judo em que participei, só não fui campeão porque ao tentar derrubar o meu adversário com um de ashi barai, entusiasmei-me de tal forma que acabei por ser derrotado imediatamente a seguir por ippon.

    Este desafio é giríssimo, pelo que optei agora, depois de bem jantado desafiar os seguintes companheiros:

    1. A Catarina do 100 nada! (pensavas que escapavas? lol)
    2. O Engricky, cuja imaginação fértil promete!
    3. Olá Migas lol! Quanto mais não seja, ver se és mesmo só culinária…
    4. Aos Fiéis – como é que se vão ordenar? – pela sua heterogeneidade ;)
    5. A Ameixinha… Tal como a Migas, o que se esconde atrás de uma receita mirabolante?
    6. A Zen, autora de um blog que me seduziu por diversos motivos enquanto a autora por ali andava.
    7. A Kianda que me parece achar um piadão a estes mambos ;)

    E fico-me por aqui…

    “Às 19 horas, que não são […]”

    21 Fevereiro 2009

    Foi uma das tiradas mais fantásticas da noite e resultado da leitura de um texto escrito previamente, com uma hora estimada que, como é natural por estas paragens, acabou por não ser a verificada.

    Estado de graça

    21 Fevereiro 2009

    Chegou ao fim.

    Ao longo da semana passada e já desta, as autoridades fizeram várias intervenções públicas no sentido de acalmar os agentes económicos e o cidadão comum. Porém, a perda de 17% das RIL em apenas dois meses (Dezembro de 2008 e Janeiro deste ano) e a forte subida do pedido de divisas na passada sexta-feira (acima dos 350 milhões de USD contra os habituais 50-60), imaginando que, quando forem conhecidos os dados para o presente mês, se tenha assistido à continuação da saída de divisas, a publicação de uma Nota de Imprensa pelas autoridades monetárias na madrugada do dia 18, prenunciava algo…

    Paradigmas

    19 Fevereiro 2009

    Antigamente, ter era indissociável de esforço, trabalho e espírito de sacrifício. Até há uns meses atrás, bastava ir-se a uma qualquer instituição de crédito. E no futuro (próximo), como será?

    E se…

    17 Fevereiro 2009

    …Obama foi um bluff?

    Do Caribe

    17 Fevereiro 2009

    Por sua causa, apanhei uma (semi) intoxicação alimentar que me fez andar todo torto durante o fim-de-semana. Pré, discussão amena e descontraída sobre a situação actual. Interessante. Depois de, na China, me terem dito que Mao foi um acidente de percurso que permitiu, por uma única vez, o acesso do povo ao poder, não podia deixar de ser particularmente revelador esperarem de Raúl as mudanças já preconizadas pelo antecessor. Para já, disseram-me, tudo não passa de expectativas.

    Entretanto, o primeiro jogo de PlayStation2 já foi.

    Chuva

    15 Fevereiro 2009

    Finalmente começou a chover em Luanda. Ontem, pela manhã, alguma frescura proporcionada por algumas horas de chuva durante a noite. Parece que bisará hoje pois lá fora estão uns relâmpagos de monta!

    Tanta criançada!

    12 Fevereiro 2009

    “1.200.000 crianças e adolescentes vão frequentar a escola em Luanda, mais 400 mil alunos em relação ao ano de 2008, anunciou a Governadora da Província de Luanda[…]”
    in Novo Jornal, edição nº55 de 06.02.2009

    Traduzindo, partindo do princípio que os números da notícia estão correctos, este aumento é brutal já que adiciona 50% ao número de alunos existentes no ano transacto. Tratar-se-á de uma maior abrangência da rede escolar, integrando quem ainda, por diversas razões, não teria acesso à mesma?

    De qualquer modo, o que já se notou foi um aumento brutal dos engarrafamentos desde o início do ano escolar…

    Valkyrie

    9 Fevereiro 2009

    valkyrie_s

    imagem daqui

    Fui ver ontem à noite, em Talatona. Para quem gosta do género, vale a pena. Boas interpretações, bem realizado, boa fotografia, planos, guarda-roupa, cenários e alguma acção. Digamos que os quase 13 Euros que custa um bilhete de cinema por estas paragens foram bem empregues.

    Silk

    1 Fevereiro 2009

    silk_poster_lg

    De François Girard, com Keira Knightley, Michael Pitt e Sei Ashina, este filme de finais de 2007 é mais um dos que terei na lista de melhores filmes. Sem qualquer dúvida.

    Novidades na estrada

    1 Fevereiro 2009

    Apenas para relembrar aos ilustres visitantes deste blog que, a partir de Abril de 2009, começará a ser passível de multa conduzir a falar ao telemóvel e circular sem cinto de segurança. De igual modo, serão introduzidos, finalmente, os testes de alcoolémia. Acreditamos piamente que será só facturar…

    iPod

    19 Janeiro 2009

    Este e um momento histórico para este blogue e para o seu autor lol. Estais perante o primeiro post aqui escrito usando um iPod! Significa isto que um novo mundo se abre, haja WiFi em toda a parte (como agora, na ilha de Luanda)!!! Hip, hip, hurra! (claro, aproveito para dizer que esta tudo bem mas não tenho tido muito tempo ultimamente dado o enorme volume de trabalho. Para já, este inicio de 2009 esta a ser particularmente auspicioso. Que continue assim ;)).

    Surtos

    10 Janeiro 2009

    O fim do ano passado trouxe a Luanda um surto de raiva que já causou mais de 30 mortos entre Setembro de 2008 e o início deste ano. Uma taxa de mortalidade em torno dos 100% sendo a maioria das vítimas crianças.

    Como se não bastasse a raiva, há uma epidemia de ébola em curso na RDC tendo já levado as autoridades angolanas a encerrar há uns dias, sine die,  a fronteira terrestre com aquele país na província da Lunda-Norte e ontem a da província do Moxico. Assim esperemos que o ébola não passe para este lado.

    Natal (posfácio)

    6 Janeiro 2009

    Para que conste, este post caiu completamente em saco roto. Snif!…

    Nevão

    6 Janeiro 2009

    Hoje a temperatura desceu mais um bocado e chegou a neve, em grande quantidade. Nunca vi tanta à minha volta. A situação é de tal forma que estão fartos de anunciar diversos cancelamentos (Lufthansa, Air France, Easy Jet, etc…) devido às condições climatéricas. Para além da neve que continua a cair em grande quantidade, não se vê nada…

    E hoje foi o recorde

    6 Janeiro 2009

    Nada mais nada menos do que -9ºC. Mesmo violento, até para os italianos já habituados a este tipo de temperaturas. Simplesmente insuportável. A chegada a Milão foi bem mais interessante, já com a temperatura nos 2ºC e a nevar.

    À chegada, uma cena do outro mundo. O taxista enganou-se no hotel e eu, feito parvo, a perguntar como é que tinham perdido a minha reserva se até tinha recebido um segundo e-mail a confirmarem-na, informando-me que estavam à minha espera?!…

    Já no hotel correcto, um recepcionista com um sentido de humor à italiana. No seguimento de uma pequena conversa enquanto fazia o check-in, foi-me dizendo que se pedirem a um italiano para fazer a guerra pela bandeira do seu país ninguém aparece. Contudo, se se tratar de dinheiro, do seu carro ou da sua mulher, avançará para a guerra sem pestanejar.

    Curiosidades

    27 Novembro 2008

    – Porque eu sou o presidente da associação no meu país…
    – Espanha?
    – No, Catalunha. Quando falo de país falo de Catalunha. Espanha é Estado.
    – Ah…